"". Life of Cherry !-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

18.2.18

As melhores frases do pior filme de sempre

As melhores frases do pior filme de sempre

Confesso, da primeira vez que vi " The Room", pouco antes de ver o filme " Um Desastre de Artista", achei-o muito estranho e horroroso, não compreendia o porquê de o intitularem " The Best Worst Film". Para mim, era só mau. Mas após ver o filme protagonizado e realizado por James Franco ( que papelão que ele fez!), fez-me apreciar esta produção de Tommy Wiseau, e agora até considero isto uma obra prima. A sério, o Tommy não é deste planeta de certeza, e nós se calhar só consideramos este filme mau porque não estamos dotados da sua inteligência.

Devaneios à parte, " The Room" continua a ser mau, mas os seus defeitos são tão bons que se tornaram qualidades. E o filme tem tantas frases lendárias que foi difícil escolher 7 ( na verdade, foi difícil porque eu estive entretida no youtube a rever as cenas e demorei o dobro do tempo a escrever este post ahahah). Mas estas são, na minha opinião, as falas mais marcantes de " The Room".


1. "I did not hit her. It´s not true. It´s bullshit. i did naghhht. Oh, hi Mark": Esta é, para mim, A frase do filme. É mesmo engraçado que, independentemente do que aconteça na vida de Jonny, quer este esteja a ser acusado de violência doméstica ou não, o vislumbre de Mark acalma-o sempre.


2. " Anything for my princess": Em outros casos, esta frase seria romântica, mas vindo do Jonny faz com que ele pareça ainda mais um sociopata.


3. " Jonny is my best friend": Esta frase é repetida tantas vezes ao longo do filme que nós chegamos a questionarmo-nos se o Jonny é realmente o seu melhor amigo. Se realmente o fosse, não teria necessidade de o reforçar tantas vezes.

4. " Anyway, how is your sex life": Isto sou eu a tentar quebrar o gelo com alguém ahahahah. Agora a sério, quem é que muda o tema de conversa assim, sem nenhum outro tópico pelo meio?


5. " Leave your stupid comments in your pocket": Isto vai ser a minha nova forma de insultar pessoas.



6. " Oh, hi Jonny. I didn´t know it was you": Ninguém neste universo nem no próximo se parece com o Jonny, contudo a florista não o reconheceu. Até um cego o reconheceria.



7. " You are tearing me apart, Lisa!": Esta frase é lendária! É aquela cena que metemos em modo repeat.



E vocês? Já viram o filme? Quais são as vossas falas preferidas?

17.2.18

5 coisas que dizemos sobre nós próprios que irritam os outros

5 coisas que dizemos sobre nós próprios que irritam os outros

Já alguma vez repararam que existem comentários negativos que nós dizemos que fazem com que as pessoas revirem automaticamente os olhos? E nem sequer são comentários que as envolvem, muitas vezes são coisas que nós dizemos acerca de nós próprios que não significam nada à primeira vista, mas que podem ser muito irritantes para quem as ouve.

Cada vez tenho constatado mais que simples frases podem gerar interpretações negativas que não esperávamos. É incrível como certas afirmações, que parecem inofensivas à primeira vista, podem incomodar tanto  as pessoas. Estas são apenas alguns exemplos daquela que poderia ser uma enorme lista.


1. Eu não presto para nada: Ok, eu sei que muitas vezes dizemos isto na brincadeira (principalmente se somos universitários e estamos em época de exames), mas quando dizemos isto a sério estamos a pôr as outras pessoas numa posição desconfortável, em que elas sentem a necessidade de contradizer aquilo que estamos a dizer. Além de que dizer isto continuamente não faz nada bem a nós próprios. Como se costuma dizer, uma mentira dita muitas vezes torna-se verdade.

2. Eu fico horrível nisto: Isto é algo que, nós, mulheres, fazemos muitas vezes para tentar " caçar" elogios aos outros. Porque todas nós precisamos de um boost no ego de tempos a tempos. Mas se estivermos constantemente a fazer isso, eu posso garantir-vos que as pessoas depressa se cansam. Eu, pelo menos, farto-me. Temos que dar também espaço para que as pessoas nos elogiem de livre vontade.

3. Oh, não me fica nada bem: Alguns de nós não sabem lidar bem com elogios (eu incluída!), pelo que, quando o fazem, a nossa tendência é ou corar ou então rejeitá-los como, por exemplo, quando elogiam a nossa roupa "oh, não me fica nada bem". Se não sabes que mais dizer, um simples " obrigado" chega.

4. Tenho tanto que fazer: É totalmente normal queixarmo-nos aos nossos familiares/amigos do nosso horário ocupado, mas se isso é o teu único tema de conversa ou se usas isso como desculpa para cancelar planos pode ser muito chato. Aquilo que me apetece responder quando me dizem isto é "Adivinha? Eu também!".

5. Isto custou-me x: Obviamente que não devemos fazer do dinheiro um assunto tabu e é sempre bom falar sobre este assunto com os nossos familiares e amigos porém, mais uma vez, é mau se for em demasia. A maior parte das vezes, ninguém quer saber quanto dinheiro gastaste com os teus sapatos ou relógio.


Quais são os comentários sobre nós próprios que acham que irritam as outras pessoas?

16.2.18

5 verdades tristes que todos os amantes de livros têm que enfrentar na vida

 5  verdades tristes que todos os amantes de livros têm que enfrentar na vida

Quem lê muitos livros já deve ter percebido que no mundo da literatura nem tudo é um mar de rosas. Dizem-nos muitas coisas estúpidas que nos ferem os sentimentos, temos que lidar com pessoas que não gostam de ler e, nos entretantos, também temos muitos medos. Mas aquilo que é pior é que temos que enfrentar certas verdades na vida que nos fazem ter crises existenciais e que nos deixam tristes e até revoltados por as coisas terem que ser assim.


1. O facto de não viveres anos suficientes para leres todos os livros que existem no mundo: Até me dói o coração só de pensar nisto.

2. A constatação de que não existem horas suficientes num dia para leres: Há tantos livros para ler mas tanto que fazer... Se estabelecessem que tínhamos 3 horas por dia só para ler, sem mais preocupações,  o mundo seria um lugar muito melhor.

3. Tu um dia vais emprestar um livro que adoras a alguém que pode nem sequer o ler: E vai ser muito triste, primeiro porque a pessoa nem se deu ao trabalho de ler o livro, e segundo porque perderam a oportunidade de criarem uma ligação contigo através dessa história.

4. Provavelmente vais ter um amigo cujo autor favorito tu não suportas: E vão ter discussões grandes à conta do assunto "Mas como é que podes gostar desse autor? O último livro foi uma porcaria!" Muitas pessoas vão achar as discussões engraçadas, mas isto pode ficar muito feio.

5. Tu provavelmente não vais conhecer o amor da tua vida numa livraria: É tão perfeito. Um dia tu vais entrar numa livraria, passear pelos corredores, e trocar olhares com a pessoa que vai ser o amor da tua vida. Vão casar, ter filhos e, anos mais tarde, vão visitar a livraria onde tudo começou. É muito bonito, mas isso provavelmente não vai acontecer. Voltem para os livros booklovers, lá tudo é melhor.


E vocês? Quais são as verdades tristes que acham que vão ter que enfrentar na vida à conta da vossa paixão por livros?

15.2.18

5 razões pelas quais as casas de Hogwarts são melhores que os signos

 5 razões pelas quais as casas de Hogwarts são melhores que os signos

Eu não gosto de horóscopos. Não acredito neles sequer e, sinceramente, nem sei como é que alguém ainda acredita neles. Se fossem verdade, todas as pessoas nascidas no mesmo dia/mês teriam vidas semelhantes. Por outro lado, acredito que as casas de Hogwarts a que pertencemos definem muito da nossa vida. Eu sei o que vão dizer " És tão viciada em Harry Potter que agora até comparas coisas ficcionais com coisas reais...." Desculpem, mas na minha opinião, se é para devanear, que seja com coisas mais reais, e os signos não têm nada de real.

Portanto, podíamos começar a meter as casas de Hogwarts nas revistas em vez do horóscopo, que é diferente conforme a revista. Algo do género, " Veja o que os Hufflepuffs devem fazer este mês para terem mais sucesso". Não? Pronto, ao menos leiam estas razões e depois não vos chateio mais.



1. São baseadas na tua personalidade: Os signos baseiam-se no dia e no mês do nascimento o que, basicamente, significa que dizem o tipo de personalidade que tens. Por outro lado, as casas de Hogwarts baseiam-se na tua personalidade para determinar a qual delas pertences. Tem muita mais lógica, não tem?


2. Não tens que saber o aniversário de alguém para determinares a sua casa: É bastante difícil saber o aniversário de todos os colegas ou celebridades que queres sortear (sou a única que faz isto?). Felizmente, não precisas de decorar aniversários para determinares a casa de uma pessoa, só precisas de conhecer minimamente a sua personalidade. Não é a mesma coisa do que ser a própria pessoa a responder ao questionário do Pottermore, mas sempre é melhor do que tentar adivinhar o seu signo.

3. Só são 4 casas para decorar: Sejamos sinceros, quem é que daqui consegue dizer os signos todos, sem pensar muito? Ninguém, obviamente. Provavelmente, lembram-se dos mais conhecidos, como Touro ou Virgem, mas depois já precisam de puxar mais pela cabecinha para se lembrarem dos restantes. Com as casas de Hogwarts não há esse problema, só são 4.

4. Todas as casas tem o seu fundador: Ao contrário dos signos, em que apenas podemos dizer que x celebridade também é de determinado signo, as casas têm os seus próprios fundadores, que nos inspiram e são ótimos modelos a seguir.

5. Não tens que te preocupar com o alinhamento dos planetas: Ou com qualquer outra coisa que envolva planetas, sei lá como é que funciona isto do horóscopo. Bem, não tens maneira de te desculpabilizar  pelas tuas decisões estúpidas, começa a responsabilizar-te pelos teus próprios atos.



13.2.18

Diz-me o domínio do teu blog e eu dir-te-ei onde moras ( a não ser que faças isto)

Diz-me o domínio do teu blog e eu dir-te-ei onde moras ( a não ser que faças isto)

Recentemente, o " Life of Cherry" passou a ter um domínio próprio. Um passo que já há muito tempo queria dar, e que se tornou possível quando eu tornei o meu blog público. Mas antes de dar este passo informei-me bem sobre em que é que consistia um domínio, o que é que implicava e como fazê-lo (embora nesta última parte não me tenha adiantado grande coisa, tive muitas dificuldades em instalá-lo e tive que pedir ajuda). E uma das minhas preocupações foi o facto de ter que dar as minhas informações pessoais para confirmar a minha identidade.

Sou da opinião que, quantas menos informações dermos a empresas, lojas, etc., menos riscos corremos. Por este motivo, fico sempre de pé atrás quando tenho que fornecer informações pessoais para fazer compras online. Assim, antes de comprar o meu domínio, averiguei se o site que escolhi era fidedigno e se as minhas informações pessoais ficariam privadas. E houve algo que chamou a minha atenção.

Normalmente, quando fazemos compras online, está sempre lá escrito, em linhas pequenas ou nas definições de privacidade, que toda a informação que disponibilizamos sobre nós ficará privada, e será exclusivamente para uso da marca/empresa. Contudo, quando estava a proceder à compra do meu domínio, andei à procura desse disclaimer e não o encontrei. Decidi adiar a compra do meu domínio e contactar o suporte técnico, para me assegurar  de que as minhas informações seriam protegidas. Em resposta ao meu mail, informaram-me que deveria verificar o meu WHOIS.

Eu li bastante sobre domínios antes de comprar o meu, mas nunca tinha ouvido falar do WHOIS. Após muita pesquisa sobre o assunto (e mais outro tanto tempo gasto a tentar descobrir como raio se metia aquilo em privado), lá consegui perceber tudo.

Então, afinal, o que é um WHOIS?  O WHOIS é um protocolo de consulta e resposta para consultar bases de dados que armazenam todos os utilizadores que possuem um domínio próprio, bem como todas as suas informações. Trocando por miúdos, quando compram um domínio, qualquer pessoa na Internet poderá ver onde moram, bem como ter acesso a outras informações, tais como o e-mail ou o número de telemóvel. Não sei quem é que teve a brilhante ideia de definir que isto funcionaria desta forma, mas é muito perigoso. Com um simples e-mail já acontecem toda uma série de problemas: SPAM, pessoas que não conhecemos de lado nenhum a tentar meterem-se connosco, às vezes até roubo de identidade, imaginem o que é ter todas estas informações online, para toda a gente ver. Mas calma, não entrem já em pânico, há uma forma de protegerem os vossos dados.

Em primeiro lugar, para verem se a vossa informação está ou não protegida, basta irem a este site e escrever o URL do teu blog. Se conseguirem ver toda a vossa informação, significa que qualquer pessoa o consegue fazer. Para corrigir a situação, devem então meter o WHOIS privado. Para isso, leiam este post do "Bloggers Camp", que está muito completo e explica tudo muito bem. Teria me sido muito útil na altura em que eu comprei o meu domínio, mas hoje partilho-o com vocês e aconselho vivamente a lerem-no.


E vocês? Sabiam que era possível obter as vossas informações pessoais através do domínio próprio do vosso blog?

12.2.18

O que as fashionistas não te dizem sobre vestires-te no inverno

 O que as fashionistas não te dizem sobre vestires-te no inverno

Todos os invernos eu digo a mim própria que este vai ser o ano em que eu, finalmente, vou ser mais chique e vou ser mais criativa com o meu estilo. Vejo os posts de inspiração das bloggers de moda, os catálogos da coleção de outono/inverno das lojas e penso " Porque é que eu desisti o ano passado? Existem aqui tantas peças giras que eu posso usar. Tantas opções! Vai ter que ser! É este o ano em que eu vou ser mais arrojada". Ahahahah, eu sou tão ingénua.

Esqueço-me sempre do frio que faz no inverno até que chegam as primeiras aragens e eu fico com os ossos todos congelados. Aí percebo porque é que eu nunca me consigo vestir de forma chique. Vestirmo-nos "bem" no inverno, a não ser que trabalhemos no conforto da nossa casa com ar condicionado, é praticamente impossível.

Nestes dias, estava a olhar para o meu roupeiro, e apercebi-me que há peças que eu raramente uso no inverno. Usa-as no início da estação até o frio se tornar insuportável e eu pensar " Que se lixe, eu quero é estar quentinha." E, enquanto contemplava o meu roupeiro, lembrei-me de uma série de coisas que costumava acreditar sobre moda nesta estação.


1. Blazers são excelentes para andar debaixo dos casacos no inverno: Mal eu tentei fazer isto na prática, os blazers obliteraram as minhas intenções. Não importa o quanto finos sejam, estes simplesmente não cabem por baixo de um casaco de inverno. Acabas por parecer um chouriço ambulante! Anyway, para quê andar com os blazers debaixo do casaco se depois acabas por não o tirar?

2. Também podemos usar sabrinas no inverno: Poder podes, mas chegas ao final do dia com os pés congelados. Além disso, o chão provavelmente está escorregadio, isto nem sequer é muito seguro.

3. Existem muitos vestidos práticos para esta estação: Os vestidos não são práticos no inverno por diversas razões. Primeiro, por muito que o vestido seja quentinho, iremos ter sempre frio nas pernas. Depois, temos que ter muito cuidado com o casaco que usamos. Casacos super compridos ficam mal com vestidos que dão pelos joelhos. Por último, o aspeto pesado do casaco parece, muitas vezes, desproporcional ao ar muito fino do vestido.

4. Seda é quente. Eu vou usar muita seda: Estática.Estática. Estática. Tentar usar seda com um casaco é o mesmo que andar a levar pequenos choques o dia todo.

5. Eu vou usar muitas clutch bags como as bloggers no Instagram: Esta aqui tem piada, porque eu nem no verão uso clutch bags, quanto mais usá-las no inverno (eu crio metas tão ambiciosas...). Eu gosto de malas grandes que deem para andar com a casa toda às costas. Mas mesmo que eu gostasse de clutch bags, não as usaria no inverno. As mãos são para estar nos bolsos, senão ainda perdemos os dedos para o frio. E não me digam que existem luvas para isso, eu às vezes tenho luvas e estou na mesma com as mãos nos bolsos.


E vocês? Quais são as tendências que não conseguem usar no inverno?

11.2.18

5 notificações de Facebook que ignoro

 5 notificações de Facebook que ignoro

É engraçado como antes eu era viciada no Facebook, passava lá a vida, e agora é uma rede social que me aborrece imenso. Se não fossem as mensagens e o grupo da faculdade, eu já teria eliminado a minha conta.

Mas nada me aborrece mais do que as notificações. Cada vez que eu vejo números vermelhos na " bolinha", eu vou logo clicar para ver o que é. O que se segue é só uma espiral de desilusão. Cada notificação é mais chata que a outra. A natureza exponencial disto até é impressionante.


1. Alguém que não conheço muito bem vai a um evento que não me interessa: Eu normalmente já não tenho muito interesse nos eventos que aparecem no Facebook, muito menos quando vêm de pessoas das quais eu já não tenho a mínima recordação.

2. Pessoas com quem eu já não falo há 6 anos ( porque é que as adicionei sequer?) fazem anos: O Facebook diz " Envia-lhes energia positiva". Nunca que lhes enviei energia positiva.

3. Pedidos de jogos: Eu não acredito que estamos em 2018 e estas notificações ainda me aparecem. Não jogo nenhum jogo no Facebook e, não, não é por me mandarem pedidos a pedir vidas que eu vou passar a jogar. A próxima vez que alguém me mandar um pedido de jogos eu bloqueio essa pessoa. Estão avisados!

4. Alguma pessoa completamante random partilhou um link que não me interessa: Porque é que eu estou a receber uma notificação disto sequer? Que eu saiba, a pessoa partilhou algo com toda a gente, não partilhou no meu mural só para eu ver.

5. Alguém que eu não conheço também comentou a foto de um amigo meu: Eu não quero saber. Eu já fiz a minha obrigação de, enquanto amiga, comentar a foto do meu amigo, e já foi com sorte, pois eu normalmente estou inativa nas redes sociais e não vejo nada. Agora deixem-me em paz, não quero saber quem é que comenta a seguir.


E vocês? Quais são as notificações que vocês ignoram?