"". Life of Cherry: Porque é que eu continuo a consumir Fast Fashion (embora seja errado) !-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

19.4.19

Porque é que eu continuo a consumir Fast Fashion (embora seja errado)

Porque é que eu continuo a consumir Fast Fashion (embora seja errado)

Já não há forma de negar. A indústria da moda é uma das maiores responsáveis pela poluição do planeta. Salários baixos e a escravatura também são grandes problemas causados pela mesma, principalmente pela Fast Fashion. Para quem não está familiarizado com o termo, Fast Fashion significa um padrão de produção e consumo no qual os produtos são produzidos, consumidos e descartados de forma rápida sendo que, para que a produção destes seja possível, há enormes consequências para o meio ambiente, nomeadamente um enorme desperdício de água e libertação de dióxido de carbono.

E, ainda assim, mesmo tendo consciência de todos estes factos e preocupando-me bastante com o planeta, a maior parte do meu roupeiro é composto por peças derivadas da tão odiada Fast Fashion. Estas são as razões que justificam este comportamento  pouco consciente, à primeira vista.


1. É mais barata e, muitas vezes, a única opção: Este é um dos maiores problemas que empurra as pessoas para consumir Fast Fashion. Se tivessem a receber o salário mínimo, o que é que escolheriam, comprar uma camisola de 100 euros numa marca ética ou comprar a mesma camisola na Primark por 5 euros? Pois. Sim, acredito que investir dinheiro numa camisola dessas vale a pena, mas também reconheço que nem toda a gente tem possibilidades para isso - há quem nem tenha dinheiro para comer. Eu tenho o privilégio de ir comprando algumas peças de roupa desta marcas de vez em quando, mas não posso fazê-lo sempre, tenho que poupar para outras coisas que considero mais prioritárias.

2. Está em todo o lado: Sabem quantas marcas sustentáveis eu encontro em Braga? Umas três ou quatro, se tanto. Já lojas como a H&M, Zara e Primark eu encontro praticamente em todas as ruas e centros comerciais. É difícil comprar roupas com "etiqueta verde" quando estas ainda são tão inacessíveis. A mudança não tem de partir, portanto, só de nós ,consumidores, mas do mercado, que tem que parar de promover tantas lojas Fast Fashion e dar oportunidade a outro tipo de lojas.

3. Dou muito uso às peças de roupa: Eu não sou aquele tipo de consumidora que compra algo e só usa em determinada estação. Muita da roupa que tenho dura anos, mesmo aquela que me diziam que, por ser de marcas baratas, iria estragar-se depressa. Sim, continua a ser mau eu comprar nestas marcas, mas se eu comprar pouco e em intervalos de tempo grandes, o mal é menor. A Fast Fashion é algo que planeio, no futuro, cortar completamente da minha vida, mas enquanto tal não é possível aquilo que eu posso fazer é comprar cada vez menos e dar bastante uso aos poucos produtos que adquiro.


E vocês? Continuam a consumir Fast Fashion ou só recorrem a marcas sustentáveis? Consideram que é possível eliminá-la por completo das nossas vidas ou que isso é apenas um privilégio dos mais ricos?

23 comentários:

  1. Também continuo a consumir Fast Fashion, principalmente, pelos motivos que enumeraste. O que me conforta um pouco o coração é mesmo o facto de usar e abusar das roupas que adquiro e de não o fazer com regularidade. Assim, sempre vou diminuindo um pouco os estragos

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, se formos capazes de consumir com a menor regularidade possível, já estamos a contribuir um pouco para mudar o cenário.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Olá, Cherry!
    Antes de mais, parabéns pelo tema - é algo que tenho vindo a abordar com alguma frequência, porque é extremamente importante termos noção que, quando nos deixamos consumir por uma sociedade líquida, que vive de modas e aparências, estamos a prejudicar (e muito) o nosso planeta e outras pessoas que são tratadas como um meio para atingir um fim (fim que, neste caso, é a nosso acto de comprar tal peça de roupa).
    Relativamente à tua pergunta, penso que é possível a qualquer pessoa eliminar a fast fashion da sua vida, ou pelo menos deixar de financiar as indústrias que praticam e incentivam esse tipo de consumo e produção. A aposta numa moda lenta - ou slow fashion - não tem de necessariamente se reduzir apenas à substituição de lojas "normais" por lojas sustentáveis. Existe a opção de fazer à mão, trocar, reciclar, apoiar artesãos, e, como tu disseste, comprar em lojas eco friendly e orgânicas - o que nem sempre é uma opção, porque os preços não são tão acessíveis quanto isso, no entanto existem IMENSAS lojas fast fashion -indústria de luxo - que cobram exatamente o mesmo pelos seus artigos que uma marca sustentável e são essas que temos de eliminar na totalidade, mesmo que estejam em cada esquina, ou com saldos tentadores, porque a partir do momento que estamos acordados para a realidade e escolhemos compactuar com ela por outro motivo que não o de extrema necessidade é bastante grave da nossa parte.
    Pessoalmente, as consequências humanas e sociais sempre tiveram maior impacto na minha mudança - ainda que a parte ambiental também me sensibilize bastante -, por isso quando precisava mesmo de comprar alguma peça de roupa e a única opção era uma loja fast fashion, garantia que não comprava nada feito fora da União Europeia. Ver documentários e ler sobre o assunto fez com que eu deixasse de ser capaz de, voluntariamente, trazer para minha casa algo feito por seres humanos escravizados e mal tratados. Por muito bonita que a peça em questão seja se contribui para a desumanização de alguém eu não a quero.
    Outro aspeto a considerar é a adoção de uma perspectiva minimalista de vida - como tu disseste, as tuas peças de roupa duram muito tempo, o que é bastante positivo -, ou seja reduzir o armário às peças mais importantes e começar a questionar se as compras que fazemos são mesmo importantes, ou apenas por capricho. É possível ter menos peças de roupa e continuar a achar divertido brincar com o estilo e com a moda, até porque a maior parte daquilo que temos nunca usamos, como tal para quê comprar tanto e tão frequentemente (especialmente se temos noção de como funciona a indústria?), quando, por mais barato que possa ser, nem sequer é útil?
    É uma questão tão importante, quer a nível ambiental (especialmente no fabrico da ganga), quer a nível humano e dou-te novamente os parabéns por tocares na ferida e trazeres o assunto à baila. Beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Matilde :).
      Muito obrigada <3. É um assunto que tem se falado com cada vez mais regularidade e também eu quis dar a minha opinião, não só por ser um pouco diferente das que tenho lido, mas também para não deixar este tema cair em esquecimento.
      Se virmos as coisas desse prisma, sim, a possibilidade de eliminarmos a Fast fashion da nossa vida é muito maior, apesar de, ainda assim, ser um processo gradual de mudança. Agora que penso, para além de conservar muito bem as minhas peças de roupa, outra coisa que costumo fazer muito é trocar ou usar roupa emprestada das minhas amigas o que, para além de aumentar significativamente os meus looks hehehehe, ajuda muito nesta causa. Agora deste-me uma ideia para um post, formas de deixar de contribuir para a Fast fashion sem recorrer a marcas sustentáveis. Sem dúvida, essas devem ser as primeiras a ser eliminadas visto que o interesse é meramente superficial e não há qualquer interesse em favorecer as pessoas com menos estabilidade financeira.
      As consequências sociais conseguem ser quase tão devastadoras como as ambientais, é normal que te sintas assim.
      É algo que muitas pessoas não percebem: não é preciso ter muitas peças de roupa para se ter um estilo fabuloso. Aliás, eu até acho que a moda é mais divertida quando dispomos de um número limitado de peças de roupa, incentiva-nos a "brincar" mais com elas e a sermos mais criativos. Outra coisa que também faço é comprar peças de roupa intemporais, tento não seguir muito as tendências, porque tudo o que as tendências sugerem passa depressa e depois é mais uma peça abandonada no roupeiro (se bem que a moda é ciclíca, nada nos garante que essas mesmas tendências não possam voltar).
      Obrigada pelos elogios e pela tua opinião sobre o assunto <3.
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Cada vez menos uso peças de fast fashion, e as que tenho normalmente são oferecidas. Claro que ainda compro de vez em quando, mas não o faço todas as estações e avalio sempre a qualidade das peças independentemente do preço.

    Prefiro comprar menos. Cada vez mais há marcas éticas e sustentáveis a valores acessíveis - portuguesas, então, tem sido um boom! - e acho que esta consciencialização é óptima.

    O preço não é um impedimento se avaliarmos a qualidade a longo prazo. Pessoalmente, prefiro pagar o valor justo, mesmo sendo mais elevado, e comprar uma peça em vez de duas ou três, por exemplo .Desta forma também garanto que utilizo tudo o que compro e que faço compras ainda mais ponderadas.

    As marcas de fast fashion estão em todo o lado, certo, mas irão continuar a estar ou a aparecer se as pessoas continuarem a comprar. Referes que não tem de partir dos consumidores, mas é precisamente o consumidor/mercado que define o que tem ou não sucesso.

    Não sou contra compras de fast fashion, mas acho que tem de ser mais controlado. As compras desenfreadas precisam de dar lugar a compras pensadas, a não comprar só porque tem um preço apelativo. Umas calças de 15€ ou 20€ nunca poderiam ser produzidas de forma justa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para algumas pessoas, o preço pode ser impedimento. Eu e tu temos possibilidades de fazer esse investimento de vez em quando, mas muitas pessoas não têm.
      Não tem de partir SÓ dos consumidores, não significa que eles estejam isentos de culpa. Naturalmente, é a regra da oferta e da procura, quanto mais os consumidores procurarem, mais oferta vai existir.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Certo, muitas pessoas não têm. Mas nem todas as camisolas produzidas de forma sustentável custam 100€. Há lojas vintage, coisas em segunda mão... Basta procurar! Cada vez mais existem marcas mais pequenas que conseguem bons preços sem explorar trabalhadores (na verdade, na maior parte dos casos basta não ser demasiado ambicioso com as margens).

      Eliminar
    3. Não conheço muitas ainda, por isso não posso opinar sobre isso. As publicações que tens feito nesse sentido são muito úteis :).

      Eliminar
  4. Também acho complicado parar de consumir Fast Fashion. A gente sempre tenta melhorar e fazer o melhor para o mundo, mas algumas coisas são realmente difíceis. O que eu tenho tentado fazer é consumir menos roupas no geral. Tenho comprado o mínimo de roupas e maquiagem. Só compro o que realmente preciso.

    https://www.biigthais.com

    Beijoos ;*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só isso já é uma mudança para mudar o mundo :).
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Como dizes, às vezes é difícil ter acesso a marcas sustentáveis. Felizmente, o meu roupeiro não precisa de ser renovado muitas vezes, pois a minha roupa também se aguenta bastante bem - exceto as calças, que como tenho pernas gordinhas acabam sempre por se rasgar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens a certeza que estás a comprar as calças adequadas ao teu corpo? É que supostamente isso não devia acontecer, independentemente da forma do teu corpo :).

      Eliminar
  6. Somos como tu, dá-mos imenso uso às peças e normalmente dá sempre para conjugar independentemente das estações!

    Beijinhos :D

    https://damselme.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Eu sempre consumi fast fashion, especialmente por ser mais acessível (barata).
    Beijinhos :)
    https://www.dailyvlife.com

    ResponderEliminar
  8. Também sou das que consomem fast fashion. Por aqui onde vivo não há assim muito por onde escolher na área sustentável, além disso o poder de compra também não deixa grandes alternativas. Mas não sou muito consumista e consigo manter a roupa impecável até me cansar dela de tanto usar :)

    ResponderEliminar
  9. É difícil, mas uma pessoa vai conseguindo. De vez em quando cedo, mas é tão raro comprar roupa que acabo por não me sentir mal comigo mesma. Aposta em lojas de segunda mão, por exemplo. Existem algumas que têm roupas super fixes!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É algo que estou a ponderar fazer, não só por isto, mas também para tornar o meu guarda-roupa mais divertido e interessante :).

      Eliminar
  10. Tento fazer o mesmo que tu.Para já não ando constantemente a comprar roupa, tento ter mais ponderação e menos impulso. Depois tento dar o máximo uso às peças, mesmo às de marcas mais baratas, tal como falaste, aliás dois dos casacos de Inverno que uso frequentemente têm aproximadamente 10 anos e são da Stradivarius e da Zara. É certo que não será o suficiente mas tal como também disseste nem sempre é fácil encontrar roupa bonita, sustentável e a um preço acessível.

    ResponderEliminar
  11. A minha abordagem passa por reduzir e pela segunda-mão. Tenho vindo a dar cada vez mais valor à qualidade e, sendo honesta, não a vejo na grande maioria das marcas de fast-fashion. Prefiro dar 20€ por uma t-shirt branca que me vai durar uns 10 anos do que 5€ por uma que vai dar um ano - se avaliares o custo-por-utilização vês que acaba por compensar. Esse pensamento e a possibilidade de comprar roupa em segunda mão, mais barata do que a dessas marcas e de MUITO melhor qualidade, têm-me afastado imenso das marcas de fast-fashion - acho que a última peça que comprei foram provavelmente 1 ou 2 t-shirts nos saldos de Inverno (escolhidas a dedo) e o casaco que pedi à minha Mãe como prenda de Natal da Zara (e que analisei ao pormenor para ter a certeza que valia o que custava). Nem vou entrar pelo lado ético da coisa porque me fico a sentir uma besta por continuar a comprar coisas nestas lojas lol...

    Aliemos a consciência ecológica e humana à noção de que tenho contas para pagar ao fim-do-mês, e lá se foi o consumismo ao desbarato :p

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depende das marcas de Fast-Fashion, sim a grande maioria não tem muita qualidade mas, por exemplo, a Zara até tem.
      Eu confesso que cada vez mais me sinto culpada a comprar nestas lojas, mas na falta de melhor alternativa ainda tenho de ceder.

      Eliminar
  12. Por aqui dá-se imenso uso à roupa e remenda-se e recicla-se até já não dar para mais. E também uso peças transversais às várias estações :) não me parece bem ter tudo guardado metade do ano! Contudo, é impensável para mim dar tanto dinheiro por uma peça de roupa. Não dou, não posso. Nem com o argumento de "dura imenso e é um bom investimento", porque isso não me troca a nota de 20 que tiver na carteira por uma de 100. Gostava, mas não me é de todo possível!

    ResponderEliminar
  13. Eu estou a mudar o meu guarda-roupa lentamente para algo mais sustentável mas claro, há certas peças que lá vai para a fast fashion... Gostei mesmo muito do post!

    Beijinhos,
    O meu reino da noite
    facebook | instagram | bloglovin

    ResponderEliminar
  14. Sim é muito mais caro mas o maior problema são pessoas que têm armários imensos, com roupas muitas vezes com etiquetas durante anos. Comprar sem necessidade é terrível. Ningu;em precisa de 40 pares de calças, eu tenho sempre só 2/3 pares (acabam a rasgar facilmente entre as pernas, principalmente andando de bike todos os dias e acontece com fast fashion ou não), não troco roupa de verão e inverno porque cabe tudo na porta de roupeiro que me compete e umas gavetas da cómoda...

    ResponderEliminar