"". Life of Cherry: Como assim, já sou condutora há um ano?! (E o que aprendi) !-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

20.10.20

Como assim, já sou condutora há um ano?! (E o que aprendi)

 Pois é malta, parece que já sou condutora há mais de um ano. A 17 de outubro lá ganhei eu um cartãozinho azul carimbado! Ainda não parece real (porque ainda não tenho viatura própria, ando agora a poupar para ter) mas, aparentemente, há um ano que já posso pegar numa chave de um carro e fazer-me à estrada sem estar a cometer alguma ilegalidade. Não é espetacular?

Para celebrar este aniversário de carta (eu celebro mesmo tudo!), decidi compilar uma lista aleatória com 9 coisas que já aprendi. 


1. A primeira vez que conduzimos depois de tirar a carta é assustadora: A primeira vez que conduzi depois de tirar a carta foi à saída do centro de saúde onde estava a fazer a primeira parte do meu estágio de Integração à Vida Profissional. O carro estava estacionado num sítio um bocadinho tricky de sair, quanto mais para uma recém-encartada o que, juntando à hora de ponta, me fez panicar um pouco e lá acabei por conduzir em ruas com menos trânsito só para dizer que conduzi. Still, senti na mesma aquele sentimento de orgulho de ter conduzido a primeira vez completamente sozinha, só com uma pessoa ao lado que não tinha travões como nos carros de condução, que podia ajudar, mas era eu que comandava tudo. De que passa esta primeira vez, tudo fica mais fácil.

2. As subidas são o meu pior inimigo: Não há ninguém que deva odiar mais subidas do que eu. Um ano depois e eu ainda não consigo dominar a embraiagem bem o suficiente para o carro não ir a abaixo durante uma subida. E então quando há muito trânsito e sou obrigada a parar numa subida? Meu Deus, o que suo de ansiedade, estou mortinha de comprar um carro automático!

3. Meter o cinto antes de fazer o que quer que seja dentro do carro: Eu nem sei se há outra forma de conduzir, né, mas religiosamente, antes de ajustar o banco, espelhos ou, Deus me livre, meter o carro a trabalhar, eu meto logo o cinto de segurança. Se não o fizer, é certinho que eu cometa a coisa proibida (e punida por lei) de me esquecer.

4. Os outros condutores vão estar constantemente a irritar-vos: Quando eu era uma passageira dentro do carro e mesmo quando estava a aprender a conduzir, eu acho que não compreendia com toda a magnitude porque é que um condutor se irritava tanto com os outros. Contudo, quando sou agora que vou no volante, parece que só vejo idiotas à frente! É pessoas a não meter o pisca, a meter-se sem terem prioridade.... Há pessoas que parecem que mal têm a carta na mão que é a loucura e esquecem-se de tudo o que aprenderam!

5. Assumam sempre o pior das pessoas: A propósito do ponto acima, este é um conselho invulgar do meu instrutor de condução. Basicamente, pensem que os outros condutores são burrinhos de todo. Desta forma, estarão sempre a contar com o imprevisível e não ficarão tão atrapalhados quando alguém se mete na estrada sem prioridade ou quando alguém trava bruscamente só porque sim. 

6. Conduzir com chuva é o pior: Odeio conduzir quando está a chover imenso. A visibilidade diminui significativamente, o chão continua escorregadio,  a maior parte das pessoas não abranda quando o devia fazer e começam a apitar... Infelizmente, ainda evito conduzir com este tempo, sei que eventualmente vou ter que o fazer mais vezes, mas enquanto posso, andamos nisto.

7. Nunca corram riscos: As pessoas estão sempre a correr riscos na estrada e é assim que os acidentes acontecem. Há sempre alguém a entrar numa rotunda quando alguém está para entrar, a cruzar numa estrada a achar que vão passar antes do outro carro que se está a aproximar... São riscos completamente desnecessários. Para mim, é preferível esperar 1 minuto do que meter-me logo. Se arriscar em vez de 1 minuto são horas a preencher papelada por causa de um acidente, já pensaram nisso?

8. Mesmo já sentindo mais confiança não significa que conduzamos completamente sozinhos: Eu sei que há opiniões contraditórias nisto, que conduzir sempre com alguém no carro se pode tornar numa muleta, porém cada caso é um caso. A verdade é que eu não ganhei assim tanta experiência num ano como contava, porque houve vários períodos de pausa pelo meio, em que quase não toquei num carro - para acabar o meu Estágio de Integração, depois com a pandemia, depois com o trabalho... Sim, sinto-me muito mais confiante a conduzir do que em outubro de 2019, já conduzo pela minha cidade com bastante naturalidade, a minha ansiedade já não me atrapalha quase nada, mas ainda não estou pronta para dar este passo de conduzir um carro e não faz mal, mais vale ir com calma do que precipitar-me e, *bater na madeira*, ter algum acidente. 

9. Só aprendes mesmo a conduzir fora das aulas: No final do dia, é como dizem, nas aulas de condução só aprendemos os básicos, é mesmo nas estradas desta vida que aprendemos a desenrascarmo-nos. Nas escolas de condução, tanto nós como os instrutores são estão mesmo preocupados com isso, em ensinar-nos os básicos e os percursos habituais num exame. Só depois de tirar a carta é que temos a possibilidade de conduzir outra variedade de percursos, estacionar em diferentes locais e lidar com as situações mais reais do dia a dia. Por isso, se tiraram recentemente a carta e sentem que não sabem conduzir, é normal. A experiência virá com os meses, anos e durante toda a vida basicamente. 

23 comentários:

  1. Ainda não tenho a carta há um ano (faz no próximo mês) e concordo com todos os pontos que enumeraste exceto o 8. Eu adoro conduzir sozinha, sem ninguém ao lado. Primeiro, para mim, funciona quase como uma terapia e porque fico mais focada quando não tenho a pressão de alguém ao lado. Sinto que conduzo melhor quando estou sozinha porque não me sinto pressionada - e como me habituei a conduzir sozinha quase desde que tirei a carta, agora sinto-me super confortável com isso, sobretudo já tendo carro próprio e usando-o todos os dias para ir para a faculdade.
    É tal como dizes: só aprendemos realmente fora da escola de condução, com os nossos próprios erros e os dos outros, sobretudo porque temos de nos aprender a desenrascar sem contar com os travões da pessoa do lado.

    Beijinhos,
    https://inescm2.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que isso muda também quando temos o nosso próprio carro e não sentimos a pressão de "estragar" por ser o carro de outro :).
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Muito bom. Adorei a publicação!! :))
    -
    Morre lentamente ...

    -
    Beijos, e um excelente dia de Quarta Feira!

    ResponderEliminar
  3. Epá o meu exame está quase e eu só panico com a condução XD e passadeiras? Epá estão sempre nos piores sítios possíveis

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior é quando são os peões a inventar as suas próprias passadeiras xD.

      Eliminar
  4. Um dos conselhos mais sábios do meu instrutor, já lá vão sete anos, foi quando me alertou de que temos que prestar muitas vezes mais atenção aos outros do que a nós mesmos. E que sábio conselho! Passado um ano de eu ter a carta, um velhote não respeitou um Stop e tive um belo acidente. Fora isso, o sentimento que me acompanhou durante os primeiros tempos de condutora foi a liberdade, aquela liberdade de poder agarrar no carro e ir onde quisesse!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo verdade, é como disse no post, temos sempre que assumir que os outros são burros!

      Eliminar
  5. Muitos Parabéns pelo primeiro ano com carta de condução!
    Já tenho carta há 6 anos, mas consigo rever-me em muitos dos pontos que enumeras. Sempre que chego ao carro meto logo logo o cinto, acho que já é algo tão automático :p
    Também não gosto de conduzir com chuva e também me irrito imenso com alguns condutores, por isso, sim, o melhor mesmo é não correr riscos, mais vale esperarmos um bocadinho e depois irmos à nossa vidinha. A verdade é que nem toda a gente conduz da mesma forma e pronto, temos de estar sempre muito atentos.
    E é realmente na estrada, com a carta já na mão que aprendemos a conduzir :)

    ResponderEliminar
  6. Tirei a carta na semana passada e já me identifico com alguns pontos (especialmente com as subidas....). Ainda estou a experimentar muito e a habituar-me aos carros cá de casa mas é tão bom saber que não estou sozinha, boas conduções aí para esse lado! <3

    ResponderEliminar
  7. Isso é muito interessante porque no dia 13 deste mês passaram, e eu lembrei-me bem disso, 21 anos desde que passei no exame de condução, e, sem ajuda divina!
    Acho que todos aqueles que só conduziram um automóvel na escola de condução passaram pelo mesmo que tu. Eu já o fiz há tantos anos e senti quase o mesmo que tu: o medo de conduzir sem rede, a dificuldade em aprender a controlar completamente a embraiagem, pior se fores conduzir um carro a gasolina porque os das escolas eram sempre a gasóleo e não vão abaixo com tanta facilidade.
    E só quando começas a conduzir é que te apercebes realmente o quão mal se conduz neste país! Mais grave são as pessoas que cortam as rotundas a direito, as pessoas que estacional até dentro das rotundas, em cima de curvas fechadas sem visibilidade, enfim, há de tudo, além do normal excesso de velocidade, conduzir enquanto se fala ao telemóvel, manobras perigosas, etc etc!
    Esse conselho do teu instrutor é de valor, no fundo é transmitir-te a ideia de fazeres uma condução defensiva e esperar o inesperado.
    Conduzir com chuva é isso tudo que dizes. Nas primeiras chuvas há logo acidentes, até pelo perigo de existirem óleos na estrada que com a chuva serão um perigo; mas a aderência é muito menor - não esquecer que em Portugal só usamos pneus de piso seco (ao contrário do que acontece noutros países da Europa) e o que falas da má visibilidade, maior distância de travagem, etc. Ainda há outras questões, eu por exemplo tenho um todo terreno que anda normalmente com tração atrás e é um perigo com chuva! Perigo para a traseira fugir e se despistar. Mas genericamente com chuva é sempre preciso muito cuidado!

    Depois é como em tudo, é com a prática que se aperfeiçoa. Contudo, e eu até tenho carta de empilhador!, a maioria dos acidentes acontecem em duas fases: inexperiência inicial e excesso de confiança. E a seguir à carta de condução vem outro passo muito importante que é a compra de carro. E quando ainda por estes dias lia alguém no Twitter, ao dia 5 queixar-se que já não tinha dinheiro na conta porque comprou um carro muito acima das suas possibilidades, é outra questão de somenos importância. Talvez eu pegue no assunto e o aborde lá no meu canto!

    Boa sorte aí com as conduções no bólide!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, os carros das escolas de condução são tão mais fáceis de conduzir...

      É que é mesmo. As pessoas com chuva parece que ainda conduzem pior, é um perigo!

      Eu estou nessa fase, de poupar para um carro. Vou comprá-lo a pronto, sei que vai demorar séculos (uns dois anos, no mínimo), mas pelo menos não me encho de dívidas.

      Eliminar
  8. eheheh concordo com todos os pontos. Não gosto de conduzir à noite pela falta de visibilidade o que obriga a maior atenção.

    ResponderEliminar
  9. Também eu sou uma recém acartada - com apenas 4 meses! - e revejo-me em algumas coisas que disseste! Ainda não estou pronta para dar o passo de conduzir sozinha, tenho de ter sempre alguém ao meu lado para me sentir segura, mas é como dizes, com a experiência chegamos lá! :)

    Blog: https://blogandorinhaazul.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  10. Parabéms!!! :)

    Já tenho carta há quase 5 anos e continuo a identificar-me com praticamente tudo o que disseste.

    ResponderEliminar
  11. Você pode até não acreditar,
    mas já tive 23 anos, quer
    dizer, já tive duas vezes 23
    e agora, se Deus quiser, vou
    comemorar meus 26 (risos)
    Um beijo e bom domingo, Cherry.

    ResponderEliminar
  12. Esta publicação foi sem dúvida muito útil para mim porque estou neste momento a tirar o código e assim já sei o que me espera :)

    http://sixmilesdeeper.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  13. Eu já devia ter a carta mas esta pandemia tramou-me! Mas com estas tuas lições sobre o teu primeiro ano já fico com umas ideias do que será o normal depois de tirar a carta.

    ResponderEliminar