"". Life of Cherry: Livro: The Ballad of Songbirds and Snakes !-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

4.7.20

Livro: The Ballad of Songbirds and Snakes


Todos os fãs de "Hunger Games" sempre imaginaram uma data de possíveis prequelas que a Suzanne Collins poderia fazer - dos primeiros Jogos da Fome de todos, do Finnick e da Annie, dos jogos em que o Haymitch participou.... No meio destas hipóteses todas, acredito que ninguém esperava que a prequela fosse, na verdade, sobre o Snow. Passámos tanto tempo a odiá-lo que não nos ocorreu ler um livro em que ele fosse o protagonista. Confesso, foi um golpe de génio da Collins, por muito que alguns não tenham gostado desta abordagem (eu, ao início, não sabia se iria gostar), aguçou e muito a curiosidade dos leitores! Aqui fica a minha opinião.


Sinopse


"The Ballad of Songbirds and Snakes" revisita o mundo de Panem 64 anos antes dos eventos principais dos Jogos da Fome, no tempo da Katniss Everdeen, começando na manhã após a ceifa dos 10º Jogos da Fome.


A minha opinião


Antes de mais nada, aviso-vos que qualquer expectativas que tenham em relação a "The Ballad of Songbirds and Snakes", não vai coincidir para a realidade. Uns vão adorar, outros vão odiar - pelo menos é a sensação que tenho, pelas opiniões que tenho vindo a ler das reviews. Em primeiro lugar, este é um estilo de escrita muito diferente da saga original. Tem na mesma os seus plot twists (chocantes!), porém tudo é narrado num tom mais filosófico, a um ritmo mais lento. E, em segundo, porque esta não é a típica história de vilão, é muito mais complexo que isso, e passo já a explicar. 

No início da história, Coriolanus Snow tem 18 anos, e os 10º Jogos da Fome estão prestes a começar. Os estudantes da mais prestigiada escola do Capitólio são os mentores - aliás, é a primeira vez na História de Panem que existem mentores. Esta é, portanto, uma reflexão dos primeiros anos dos Jogos da Fome. Principalmente - aquilo que mais me despertou a atenção - do ponto de vista do Capitólio. Vemos também, pela primeira vez, os efeitos devastadores que a guerra causou na capital de Panem - supostamente seria de esperar que não tivéssemos pena, mas Snow tinha apenas 8 anos quando a guerra aconteceu, e era surpreendentemente pobre. 

Estão aqui os ingredientes reunidos para sentirmos empatia pelo Snow, algo que nunca imaginámos que fosse possível. O seu início de vida modesta, a sua oposição inicial aos Jogos de Fome, a lealdade que tinha para com os seus amigos são alguma das coisas nunca antes vistas nele. Mas não se deixem enganar, como seria de esperar, também estão aqui reunidos todos os ingredientes para essa empatia ser completamente destruída no final. Depois daquele final, eu passei-o a odiar ainda mais do que em "The Hunger Games" e não achava que isso fosse possível! Apesar de esta não ser uma história sobre a ascensão de um vilão, tal como já expliquei acima, vemos isso claramente nas últimas páginas do livro, quando a sua ambição desmedida começa a falar mais alto. 

Outra coisa inesperada nesta prequela é a existência de uma paixão por parte do Snow. Lucy Gray, para ser mais precisa, o seu tributo, de onde, meus amigos? Do distrito 12 (que escândalo!). Mesmo sabendo que tal não iria acontecer, à partida (terão de ler para saber) estive todo o tempo a torcer para que ficassem juntos. Até porque a Lucy Gray é tão carismática e encantadora (dava uma melhor protagonista que a Katniss). Todavia, como seria de esperar, este amor esconde um fundo de egoísmo, porque o Snow nunca seria capaz de se entregar a ninguém sem obter nada em troca. 

Como se o livro já não fosse juicy o suficiente, ainda existem um easter eggs nele (por exemplo, de onde realmente veio a música "The Hanging Tree"),  para os fãs nostálgicos desta série distópica. Para aqueles que esperavam uma prequela diferente, esta é também uma oportunidade de satisfazerem a vossa curiosidade e descobrir algumas coisas que sempre quiseram saber. Foi muito giro para mim ver algumas coisas  (sem estragar as surpresas) que passaram para a história principal, 75 anos depois. 

"The Ballad of Songbirds and Snakes" não é nem pretende ser o sucesso arrebatador que a saga original foi, está, aliás, longe de ser memorável. É um relato introspetivo, que tem como único objetivo adicionar mais profundidade à história de Panem. Mesmo não sendo essencial, se adorarem a saga recomendo vivamente a lerem.


Livro: Wook; Bertrand.

(Nota: Esta publicação contém links de afiliados)

5 comentários:

  1. Acredito que seja um livro muito interessante de ler.
    .
    Feliz fim-de-semana
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. Nunca li a saga e não sinto que vá acontecer tão cedo, mas acho que é sempre especial quando há uma sequela [a não ser que o autor siga um caminho muito duvidoso], porque é uma forma de a prolongarmos na nossa memória :)
    Ótima crítica!

    ResponderEliminar
  3. Que saudades eu tenho de ler um livro.Só me falta tempo. Com criança pequena isso é luxo
    bjos dea

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma página por dia talvez ajude a equilibrar as coisas :).

      Eliminar
  4. Uma boa leitura, suponho!! :)
    .
    O querer do meu Olhar ...

    Beijo e um excelente Domingo.

    ResponderEliminar