"". Life of Cherry: A "Noite da Mulher" é uma forma de dupla discriminação !-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

18.9.18

A "Noite da Mulher" é uma forma de dupla discriminação

A "Noite da Mulher" é uma forma de dupla discriminação

Numa altura em que o feminismo anda nas bocas do mundo, pouco se fala sobre algo que ainda é bastante comum na maior parte dos estabelecimentos noturnos. Parece que andamos  a jogar um jogo de ignorar o óbvio.

Todos nós, mais novos ou mais velhos, certamente  já estamos familiarizados com as famosas "Noites da Mulher" nos bares e discotecas. Na maior parte dos estabelecimentos,  a promoção consiste em entradas mais baratas para as mulheres e ofertas de três bebidas, mas há outros que elevam mais a fasquia nessas noites e oferecem entrada gratuita. 

Quando falamos de igualdade de género convém percebermos que privilégios com base no género não entram nem devem entrar na equação. Igualdade é igualdade, não funciona só quando nos convém, sejamos homens ou mulheres. Vejo muitas mulheres a defender com garra o feminismo, e depois a aceitar este tipo de ofertas porque "ah, nós já somos prejudicadas em tantos aspetos, temos que aproveitar aonde temos vantagens". 

Às mulheres que se aproveitam destes descontos, convido-vos a irem mais a fundo e refletirem no que está implícito quando se aceita uma oferta como esta. Não sejam ingénuas: os proprietários não pretendem ser simpáticos ou cavalheiros, tudo o que ambicionam é o lucro. Como se costuma dizer, não há almoços grátis. Este suposto benefício não passa de mais uma forma de explorar a beleza feminina para atrair o público masculino, cujos consumos de álcool, apesar de o paradigma atual ter mudado, ainda continuam mais elevados.  Uma vez ouvi dizer o seguinte: se vocês não pagam pelo produto, significa que o produto são vocês. 

No entanto, desenganem-se se pensam que as "Noites da Mulher" são apenas mais uma forma de sexismo exclusivamente dirigido às mulheres. Isto das entradas mais baratas/gratuitas para o sexo feminino é discriminatório para ambos os lados. As mulheres são usadas como "isco" para movimentar o negócio e atrair homens, e os homens são penalizados no acesso aos estabelecimentos, tendo que pagar muitas vezes o dobro, isto para não falar que estão a ser tratados como animais que precisam ser atraídos por algo. Estão, basicamente, a assumir, que todos os homens não vão a estes espaços de lazer por mera diversão, vão apenas para irem à "caça". Quão ofensivo é isto?

Além destas questões, as Lady Nights (como são conhecidas no estrangeiro) perpetuam outras formas de sexismo e estereótipos que passam mais despercebidos, mas que são igualmente errados: a ideia que as mulheres são incapazes de pagar as suas próprias bebidas e que têm que esperar que alguém as aborde, e a ideia que de que são os homens que têm que pagar as bebidas e serem os primeiros a meter conversa. 

Não sou muito de sair à noite, mas das poucas vezes que saio certifico-me que não seja em noites destas. Não só seria hipócrita da minha parte defender a igualdade de género e depois aproveitar ofertas destas, à descarada, como também me sentiria mal por estar a ser discriminada e a discriminar os outros ao mesmo tempo. 

Mulheres: ficar sem a "Noite da Mulher" poderá ser mau para a vossa carteira, mas será bom para a vossa dignidade. Homens: Não tenham medo de assumir as situações em que também estão a ser discriminados, cheguem-se à frente e falem. Toda a forma de discriminação, por muito subtil que seja, continua a ser discriminação. Não as ignorem por conforto.

11 comentários:

  1. Não podia concordar mais com as tuas palavras! Porque é que não há muitas discotecas a fazerem a "noite dos homens", onde oferecem bebidas aos homens e as mulheres pagam mais para entrar?
    É tudo uma questão de perspetiva, nunca na vida me vou importar por pagar mais para entrar num sítio onde sinto que me respeitam (minimamente), ou que, no mínimo, não me sinto discriminada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso também poderia ser uma forma de resolver a situação, existir noites dos homens e noites de mulheres, mas melhor mesmo era acabar com isto.

      Eliminar
  2. Das poucas vezes em que aproveitei algo disto, fiz questão de dividir o "desconto" com os homens que estavam comigo. Acho ridículo exactamente por nos posicionarem a nós como "isco" e a eles como idiotas atrás de rabos de saia...é só parvo!

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso era inteligente, assim podias sair na mesma nesse dia sem te sentires discriminada nem os teus amigos o sentirem.

      Eliminar
  3. "As Noites da Mulher" são, de facto, das práticas mais descabidas que podem existir, mas, infelizmente, perpetuam-se porque as pessoas não colocam isso em perspetiva. Como mencionaste logo no título, é uma forma dupla de discriminar. E enquanto ninguém se insurgir em relação a isso, nada mudará.
    Sempre me fez muita confusão este tipo de negócios, porque vêm camuflados de segundas intenções. E não é só em "festividades" específicas como esta, porque não consigo entender como é que numa saída normal a uma discoteca, por norma, os homens pagam sempre mais que as mulheres. Qual é a lógica?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, as pessoas preferem ignorar quando lhes convém.
      É verdade, mesmo quando não existem estas promoções, isso acontece em muitos estabelecimentos.

      Eliminar
  4. Excelente reflexão! A palavra chave é mesmo essa: igualdade.

    ResponderEliminar
  5. Sou a favor da igualdade do género, no entanto, sim, secalhar peco por "aproveitar" estes descontos. Na cidade onde estudo fazem muitas vezes estas "Noites da mulher" e se não as fizerem pagamos sempre menos, é verdade. Sempre gostei de sair à noite e como por lá pagamos sempre menos, que "remédio" tenho de aceitar. Se concordo? Não. E lá está, se calhar achas isto um bocadinho contraditório e de certa forma é, mas não me considero hipócrita. Pois se me falarem do assunto sou a primeira a admitir que está mal e se acabarem com essas noites? Não fico chateada, é totalmente justo e vai ao encontro do que acredito e penso sobre a igualdade de género, pois se a queremos, temos de a ver em todos os pontos e aceitá-la. E estas noites são claramente uma forma de discriminação.
    Por enquanto, vou partilhando os descontos com os meus amigos rapazes, não tenho problema nenhum em ir buscar uma bebida (que vou ter de pagar eu) e oferecer uma a um amigo. É uma forma de eu me sentir bem e que sinto ser justa :)
    Espero que tenhas entendido o meu ponto de vista, pois acaba por ir muito ao encontro do teu e concordo com tudo o que escreveste.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não te julgo por isso nem te considero hipócrita. Às vezes, não dá mesmo para evitar. O facto de partilhares os descontos com os teus amigos rapazes já mostra que te preocupas com a igualdade e que contribuis para que haja mais justiça.
      Não te preocupes, eu entendi :).
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Concordo com tudo!! Se nos dermos mais valor o mundo à nossa volta também dá!!!

    ResponderEliminar
  7. Concordo na totalidade com tudo, é aliás ridículo que estas coisas ainda aconteçam! Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar