"". Life of Cherry: Prendas de final de ano letivo: devemos premiar algo que é uma obrigação? !-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

25.6.19

Prendas de final de ano letivo: devemos premiar algo que é uma obrigação?


Há uns dias atrás li a seguinte afirmação no Twitter: "Prendas de final de ano letivo são só estúpidas. Porque vamos premiar algo que é uma obrigação?". Intrigada por este tweet, quis saber se esta era opinião geral e, por isso, perguntei-vos nas redes sociais qual era a vossa posição. Gerou-se uma discussão interessante (podem ler aqui) , com diversos pontos de vista que me fizeram refletir acerca da minha própria posição- sou a favor, mas depende.

Porquê, perguntam vocês? Antes de dar uma prenda, é preciso ter em consideração alguns fatores, como a idade da criança/jovem, o contexto e o tipo de prenda que se quer der. É importante que a prenda nunca ofusque aquela que deve ser a motivação principal, o sucesso escolar. Cair na velha chantagem "se tirares boas notas dou-te isto" só vai criar adultos irresponsáveis, que não sabem distinguir entre direitos e deveres.

Sinto que, com bens materiais, é muito difícil que os filhos, de forma consciente ou inconsciente, não acabem por cobrar mais aos pais e acabar numa forma desta chantagem invertida, tornando-se numa exigência que deve ser cumprida todos os anos. Houve alguém nas redes sociais que sugeriu premiar  com experiências e, de facto, é o caminho mais sensato para fugir a este problema.  Já cheguei a receber alguns presentes de transitar de ano mas, pessoalmente, aqueles que mais me marcaram não foram coisas materiais, foram experiências, como viagens com a família ou lanches com amigos. Houve ocasiões em que o fim do ano letivo foi usado como desculpa para comprar algo que precisava, como uma peça de roupa ou uns óculos de sol, ou até mesmo um miminho mais supérfluo (presentes que pelos quais me sinto agradecida na mesma, obviamente), mas são coisas que, passado algum tempo, não têm tanto significado como uma celebração, por mais pequena que seja, para assinalar mais uma etapa, em que se fazem diretamente elogios sobre o trabalho feito e toda a dedicação depositada nesse trabalho. 

As principais regras de ouro são, portanto, na minha opinião, evitar dar bens materiais a não ser sejam baratos ou que seja  algo absolutamente necessário (pontos extra se estes bens forem relacionados com o estudo), não haver um acordo prévio (ou seja, não prometer nada aos filhos),  e, sobretudo, não fazer qualquer tipo de suborno. Se se souber respeitar estas regras, não há mal nenhum e dar uma gratificação a quem, de facto, soube cumprir bem os seus deveres. 

Estudar, é sim, uma obrigação, e ninguém pode fazer isso por nós, mas porque não festejar- ainda que de forma simples, não vamos andar a fazer uma festa de formatura todos os anos- cada passo dado naquele que é um longo percurso académico? Há quem diga "ah, quando começarem a trabalhar ninguém os vai elogiar, recebem o salário e o resto é acordar, trabalhar, comer e dormir até morrer". Não é bem assim. Não se sentem muito mais motivados quando são reconhecidos por aquilo que fazem, quer seja por um cliente numa loja ou por um paciente num hospital? Além disso, em muitas empresas, os trabalhadores trabalham por objetivos, e em cada objetivo atingindo recebem um incentivo. Porque não fazer o mesmo enquanto estudamos? 

Celebrar as pequenas vitórias importa, quer seja passar de ano,  um 90% no teste de Português ou uma apresentação de trabalho excecional. Talvez seja este o incentivo que falta a muitos estudantes que, hoje em dia, se sentem desmotivados a exigência cada vez maior do ensino e a falta de perspetivas de emprego. 


Qual é a vossa opinião? São a favor ou contra às prendas de final de ano letivo?

26 comentários:

  1. Que me recorde, os meus pais nunca tiveram o hábito de me oferecer prendas por passar de ano, mas reconheciam sempre o meu esforço. Embora fosse minha obrigação estudar e tirar boas notas, nunca desvalorizaram o meu empenho. Ainda assim, e quando segue essa linha de valorização, não acho que haja problema em oferecer uma recompensa. Mas, lá está, desde que não seja algo combinado ou uma exigência direta ["dou-te x se tirares boa nota", "recebes y se passares de ano"]. O importante é não cair no erro de tornar esta atitude numa motivação, porque aí, sim, pode ser prejudicial a vários níveis.

    ResponderEliminar
  2. Concordo contigo. Há que celebrar todas as pequenas conquistas da vida! :D

    3200 Degrees // Instagram

    ResponderEliminar
  3. Deve ser voluntário e à consciência de cada um. Os melhores professores devem ser premiados e reconhecidos pelo sue trabalho pelos pais. O problema pode tornar-se quando se torna tradição e os bons e maus são premiados.
    Penso tb que deve ser algo simbólico precisamente pq estão a fazer o seu trabalho.

    ResponderEliminar
  4. No final do texto, chegaste à minha resposta à pergunta inicial. Quando trabalham, não gostam de receber prémios? Porque é que se recompensa a assiduidade, por exemplo, se é uma obrigação? Acho que segue a mesma linha. São incentivos. O mesmo para os estudantes ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exato, se enquanto adultos recebemos esse tipo de incentivos, porque não enquanto estudantes? :).

      Eliminar
  5. Olha lá em casa às tantas a minha irmã sugeriu um sistema de notas=$, se estudar era o nosso trabalho devíamos ser premiadas em concordância, passar era o mínimo logo ter 3 ou 10 dependendo do ano em que estávamos era o mínimo, abaixo disso ficávamos a dever aos nossos pais e acima disso eles pagavam-nos. Eram valores pequenos mesmo mas davam uma motivação extra. Sim costumava receber mimos de passagem de ano mas sempre foi explicito que era a nossa obrigação passar, preferencialmente com notas razoáveis...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um sistema muito interessante, acaba por funcionar como um salário :),desde que eles percebam qual é que deve a verdadeira motivação.

      Eliminar
  6. obrigada pelo comentário <3
    nunca recebi nada e por acaso sobre este assunto, não tenho opinião formada :p

    www.pinkie-love.com

    ResponderEliminar
  7. É um tema que nunca pensei tão profundamente!
    Até porque a vida escolar é essencial para a vida!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar
  8. Mixed feelings. Sou contra, por princípio. Porque o que vi à minha volta enquanto crescia era um fartote de chantagem e/ou gabarolice e isso sempre me fez muita confusão - fui criada a aprender que era minha obrigação tirar boas notas, para o meu próprio bem, e essa era a minha melhor (e única!) prenda. E eu tirava mesmo muito boas notas. Claro que os meus pais ficavam felizes por mim, me davam os parabéns e tal, mas nunca foi algo tido como extraordinário.

    Como nos meus amigos via ou um "se eu tirar boas notas recebo x" e essa era a única motivação, ou um "os teus pais não te dão prendas pelas notas? Forretas!", acabei por ganhar uma grande alergia a esse conceito lool mas sim, se for sem promessas e em experiências, parece-me muito bem como reconhecimento - nunca como motivo!

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aquilo que tu viste foram maus exemplo, muitos pelos vistos, infelizmente.
      Não é obrigação dos pais dar prendas, essa mentalidade de "forretas" ou que não se preocupam é mesmo triste.

      Eliminar
  9. Acho que raramente recebia essas prendas xD
    Segui.
    https://the-choice-26.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. Muito interessante esta análise. Aqui no Brasil acontece, mas mais frequente com as crianças pequenas. E concordo com você.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderEliminar
  11. Acho mesmo que o presente deve ser dado apenas diante de algumas circunstâncias.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderEliminar
  12. Estou deixando este comentário para dizer que gostei bastante do que acebei de ler aqui neste artigo, inclusive já salvei até meu navegador em meus favoritos.
    Abraços Capital de prêmios

    ResponderEliminar
  13. Também concordo que as prendas não fazem sentido se forem dadas como compensação, pois estudar é uma obrigação, mas se forem dadas como reconhecimento de esforço então sou apologista!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  14. Que poste maravilhoso.
    Bem explicado, ótimas informações.
    Beijos.
    http://vinteedoisdemaio.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  15. obrigado :)
    para quem gosta de coberturas elevadas, não é mesmo a melhor opção :)

    Os meus pais nunca me recompensaram pelas minhas notas... mas sempre valorizaram bastante o meu esforço!
    Vai depender muito da "recompensa", claro. Mas não sou contra :)

    NEW TIPS POST | BEST WAYS TO BUY ON SALES!
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  16. É de facto uma boa questão.
    Não vejo mal nenhum em oferecer-se um presente quando se passa de ano, no entanto, acho que isso não deve ser previamente combinado, de forma a não ser o único motivo pelo qual a criança estuda. Porque estudar é uma obrigação é certo, mas a criança deve gostar de estudar e compreender que é uma mais valia na sua vida. Por isso, ser recompensado poderá ser positivo e motivador, mas não deve ser uma regra. E concordo que as recompensas ao nível das experiências sejam sempre as melhores :)

    ResponderEliminar
  17. Acho desnecessárias e concordo que possam ter consequências negativas... mas também pode não trazer nada de mal! Nunca pensei muito no assunto, mas sempre que vem à baila lembro-me das empresas que dão prémios de produtividade - não é um conceito parecido?

    MY SUPER SWEET TWENTY - Blog | Canal | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exato, um incentivo de vez em quando não tem mal nenhum :).

      Eliminar
  18. E por que não pensar que no final de cada mês também recebemos o salário? Então porque é que não podemos premiar por um bom dever cumprido? Por que não uma festa? Nós concordamos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se virmos as coisas por essa linha de pensamento, faz muito mais sentido :).

      Eliminar
  19. Os meus pais nunca na vida me deram uma prenda de final de ano. Acabei agora a minha licenciatura e também não recebi nada. Considero que eles me terem ajudado e pago o curso já é uma enorme prenda e que eu ao estudar e nunca ter chumbado e esperar que um dia lhes possa pagar a viagem de sonho, já é uma prenda.

    ResponderEliminar