"". Life of Cherry: 7 questões que eu ainda tenho para os miúdos populares da minha antiga escola !-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

30.7.18

7 questões que eu ainda tenho para os miúdos populares da minha antiga escola


Se há fase da minha vida à qual não voltava é a minha adolescência. Por muito que tenha sido feliz nesta fase e que tenha saudades de conviver diariamente com muitos dos meus amigos com quem agora, infelizmente, já não tenho tanto contacto, voltar a vivê-la implicava voltar a passar pela insegurança da idade, pelas dúvidas e, sobretudo, voltar a vivê-la implicava voltar a sofrer à conta dos miúdos populares da minha escola. 

Em todas as escolas existe uma hierarquia social, bem ao estilo "Mean Girls".  Existem diversos grupos, mas podemos dividi-los em duas grandes categorias, aqueles que são populares e aqueles que não são populares. É engraçado constatar que, na altura, os miúdos populares pareciam ter tanta importância quando, na verdade, não passavam de miúdos idiotas cheios de inseguranças que, para se sentirem mais poderosos, gozavam com os outros e faziam coisas incrivelmente estúpidas. 

Apesar de agora, aos 21 anos, ter consciência do quão ridícula era toda esta cena de ser popular, nunca vou esquecer quem eram os miúdos populares da minha escola. Todos os pequenos detalhes acerca deles estão gravados na minha memória: o que vestiam, o modo como andavam, o que diziam, aonde se sentavam, para onde saíam e, sobretudo, aquilo que fizeram a mim e ao meu grupo de amigos. Felizmente, não passam de memórias e eles já não têm a posição que tinham (aquilo que dizem é verdade- a maior parte dos miúdos populares transformam-se em adultos miseráveis), mas ainda ficaram algumas questões por responder.


1. Honestamente, vocês gostavam uns dos outros sequer?:  Parecia que os miúdos populares passavam a maior parte do tempo a falar mal dos outros. Era de esperar que se protegessem uns aos outros mas não, até falavam mal de pessoas do próprio grupo. Bastava um virar costas e, pimba, falavasse logo mal dele! Estar num grupo destes, por muito grande que fosse, parece-me agora muito solitário, ter um monte de "amigos" mas ninguém ser realmente um amigo.

2. Mas quanto tempo é que demoravam a arranjar-se de manhã? : Esta é uma pergunta mais para as raparigas, já que para os rapazes aparecerem demasiado arranjados era sinal que eram gays (ai, este nível de estupidez...). As raparigas não se arranjavam para ir para escola, arranjavam-se para ir a um desfile de moda! E nessa altura ainda não estava na moda esta cena dos iluminadores e dos eyeliners todos elaborados porque senão aí é que era, Nossa Senhora nos ajude!

3. E como assim vocês tinham mamas tão grandes?: As raparigas tinham todas mamas tão grandes que eu, ao lado delas, parecia uma tábua de passar a ferro. Não é possível que todas essas raparigas tivessem um desenvolvimento corporal para a idade. Nahhh, isto cheira-me a manhosice. Elas deviam ter um segredo qualquer, uma maneira de encher os seus soutiens de maneira a que parecem naturais. 

4. Porque é que odiavam assim tanto a escola?: Malta, eu sei, a escola, por vezes, pode ser muito aborrecida. Temos que acordar às sete da manhã, ter algumas aulas que são uma seca, estudar quando só queríamos divertirmo-nos... Mas aprender é divertido (sim, não estou louca!) e também existem, certamente, disciplinas que gostamos, professores que gostamos. Até podiam não gostar de nada, mas daí a odiar? Os outros, que sofriam à vossa custa, é que tinham razões para odiar a escola! Odiavam mesmo assim tanto a escola ou baldavam-se só para parecer fixes? 

5. Os vossos pais deixavam-vos mesmo sair à noite? : Na minha escola, bastava ser bonito e fazer alguma idiotice para ser popular, mas os miúdos que estavam no topo eram aqueles que saíam à noite. Atenção que isto tudo era no contexto de uma escola básica e, quanto mais novo fosses, mais depressa subias de posição. Assim, via-se miúdos de 14, 13 e até 12 anos a sair à noite (porque claro que eles tiravam uma foto para comprovar que saíram mesmo e que não nos estavam a fazer todos passar por parvos). Eu só pensava " Mas aonde é que estão os pais deles? Será que os pais deles são mesmo fixes como eles dizem (ou, como o resto do mundo pensa, desnaturados?)? Ou será que saíam às escondidas?". Se estes pais deixavam mesmo os seus filhos de 12/13 anos saírem à noite, sabe-se lá o que mais eles deixavam. É uma irresponsabilidade enorme!

6. As vossas festas  eram mesmo tão épicas como diziam? : Na minha escola básica, existiam miúdos que faziam festas enormes como aqueles que se vêem nos filmes americanos, em que convidavam os miúdos mais populares da nossa escola e das mais próximas- ou, pelo menos, era  o que se dizia. Olhando para trás, não acredito que estas festas tivessem a dimensão que diziam que tinham. Diziam que era a loucura, cheia de jogos estilo " verdade ou consequência", com álcool assim nos extremo(?).... Eram mesmo assim tão "divertidas" ou só diziam isso para fazerem com que os pobres miúdos que não foram convidados se sentissem pior?

7. Precisavam mesmo de ser tão maus?: Eu sei, que nessas idades, aquilo que mais queremos é sentirmo-nos incluídos, que fazemos parte de um grupo. Mas precisavam mesmo de ser tão cruéis para criarem prestígio na escola? Não poderiam ter deixado de lado a parte de gozar com os outros, e subir só à custa de ações parvas que não magoassem ninguém e que só afetassem as próprias pessoas que as praticavam? Fizeram coisas mesmo terríveis, que feriu a autoestima de imensos miúdos, e este tipo de coisas ficam toda a vida connosco, como se fossem cicatrizes de uma terrível queda.


Se voltassem a ver os miúdos populares da vossa escola, o que lhes perguntariam?

30 comentários:

  1. Agora que penso nisso, acho que voltava à minha adolescência, porque foi uma altura bastante tranquila. Apesar de haver grupos que se destacavam, nunca senti essa divisão profunda. E a convivência acabou por ser mais pacífica.
    Aquele viver de aparências pode parecer tentador, mas rapidamente vão perceber que isso leva a lugar nenhum

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem :), eu não tive tanta sorte, na minha escola Básica havia uma grande divisão.
      É tentador é verdade, mas é uma gratificação imediata que depressa deixa de satisfazer.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Tudo isso que descreves parece realmente um filme (ou série) americano. Confesso que não pensei que isso fosse assim na vida real, ou pelo menos, não na vida real aqui em Portugal. Eu não me lembro de isso ser assim no meu tempo... Miúdos a gozar uns com os outros, claro, sempre houve e vai haver sempre. Mas miúdas a arranjarem-se não. Nada! Aliás, olhando para fotos antigas, vestíamo-nos tão mal, ahah! Não me lembro de haver um grupo de miúdos populares da escola. Apenas grupinhos, claro, que às vezes entravam em conflito, mas não assim uma hierarquia, como descreves. Saídas à noite não eram uma realidade com essa idade e álcool também não... és uns anitos mais nova que eu, mas caramba, mudou assim tanto do meu tempo para o teu?? :o

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há coisas que vão piorando de geração para geração. Não passaram muitos anos desta fase da minha vida, e agora a malta mais nova ainda épior. Por exemplo, na minha altura já existiam miúdos a sair à noite com 12 anos, mas era raro, agora é muito comum,infelizmente.

      Eliminar
  3. Também sempre tive essas dúvidas sobre eles. Pena que hoje em dia ainda vejo que muitos deles, mesmo com a idade, não mudaram nada.
    Beijinhos
    http://universodamarta.blogspot.pt ❤

    ResponderEliminar
  4. Cada pergunta fazia-me lembrar de alguém da minha antiga escola. Infelizmente na minha turma tinha um grupo de raparigas que se achavam as maiores e todas juntas não valiam nada.
    Em relação à terceira pergunta, uma da minha turma metia meias ou lá o que era no sutiã, mas depois foi apanhada na praia e lá foram as mamas que todos pensavam que ela tinha ahaha
    Nunca irei perceber a necessidade que eles tinham para fazerem isso tudo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu Deus, o que as raparigas fazem para ter mamas xD.
      Nem eu!

      Eliminar
  5. Ahahah ai as memórias...eu era uma das cromas que levava com essa gente - mas na minha escola não eram os miúdos populares, eram gunas mesmo. Dispensava bem os meus anos passados no ensino básico à conta desta malta - aparentemente quanto melhor aluno eras, menos merecedor de respeito, portanto a coisa ficou complicada. Eu sei que é mau, mas a Joana-modo-mean ainda se ri quando pensa no rumo que esta malta tomou. Depois ganho juízo e percebo que eram só miúdos que jogavam com o que tinham e com o que foram educados...e infelizmente muitas vezes isto vem tudo da educação! Há pais que deviam ter aulas para aprender a educar os filhos!

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na minha não eram gunas, lamento que tenhas passado por isso,esses são muito piores.
      Na altura não dava para ver isso, mas era tudo inveja.
      Eu também faço isso, não não me orgulho xD. Mesmo, muitas vezes isto é o resultado de pais ausentes.

      Eliminar
  6. Senti toda essa indiferença na escola. Não, não gostaria de voltar. Gostei de ler.


    Bjos
    Votos de uma óptima Terça- Feira

    ResponderEliminar
  7. Sempre fui um pouco socially awkward então no secundário meu deus, ahahah, mas realmente nunca entendi a vida dos miúdos populares.

    beijinhos ❤

    ❤ https://ocirelias.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  8. Muito interessante este post! Eu também sempre pertenci ao grupo dos não populares e sei bem como te sentes. Adorei as perguntas, e sem duvida perguntaria praticamente a mesma coisa! Ahahah

    beijinhos,
    Uma Africana Blog

    ResponderEliminar
  9. Nunca dei muita atenção a essas pessoas, achava que já que não eram meus amigos, também não me devia importar com eles ahah! Mas por acaso essas são perguntas engraçadas!
    Beijinho :)
    https://bea-blog-utifully.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  10. Das duas, uma: essas pessoas passavam-me ao lado ou nao existia esse tipo de pessoas nas escolas onde eu andei.
    Existia maldade e grupos, mas não eram assim tão mau, acho eu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na minha turma do Secundário isto já não se sentia muito, portanto não era assim tão improvável que não existisse na tua escola.

      Eliminar
  11. Eu vivi numa cidade pequena, não se sentia muito isso,os grupos eram apenas por "turma" nada de mais. Mas é uma realidade , gostei de ler
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Na minha escola também se notava essa divisão de que falas nesta publicação. Nunca me afetaram muito (felizmente!), mas por vezes tiravam-me um pouco do sério por terem tanta mania e eu não perceber porquê, mas neste momento estou tão a leste dessas pessoas que já não lhes fazia pergunta nenhuma ahah ;P

    ResponderEliminar
  13. Na minha escola também existia um pouco essa divisão, especialmente entre "bons e maus" alunos... No geral, os maus alunos é que eram os populares e sempre por maus motivos!
    No meu tempo já tinha colegas que saíam à noite, enquanto eu nunca fiz tal coisa e, pensando bem agora, eu na altura achava que sair à noite é que era "vida" mas, na verdade, com aquela idade, é só ridículo e uma falta de bom-senso dos pais!

    http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

    http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na minha também eram os maus alunos que se destacavam mais, salvo um ou outro aluno que eram crânios mas que, para "compensar" (segundo os termos deles), eram muito bonitos.
      Eu naquela altura também queria sair à noite, mas agora fico feliz por só o ter começado a fazer no fim do Secundário, numa altura em que tinha mais maturidade.

      Eliminar
  14. Essas pessoas também existiam na minha escola e, sim, também tenho algumas dessas dúvidas ahah

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  15. Eu nunca senti nada disso nas escolas em que andei. Claro que havia sempre aquelas pessoas mais conhecidas, mas nunca senti que houvesse grupos definidos de populares que martirizavam os outros. Depois de ter lido a tua publicação, sinto-me uma felizarda por não me ter cruzado com tais criaturas!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Achava que isto acontecia em todas as escolas,mas pelo que estou a ver não, ainda bem :).
      Beijinhos

      Eliminar
  16. Não vejo isso como ser popular ou não ser popular, isto porque considero que fui popular num bom sentido ahah, mas sim, existiam dois grupos xb

    Até ao meu 7º\8º ano esse grupo de que tu falas tentou sempre fazer-me a vida num inferno, algumas vezes conseguiram, mas depois, percebi que eu era melhor que elas e comecei a "enfrentá-las". Nunca mais me esqueço, durante uma semana não tive companhia para almoçar nem nada, umas porque eram estúpidas, outras porque tinham medo das primeiras. Quando viram que eu estava nem aí, desistiram e começaram chamar-me, acontece que sempre fui muito fiel aos princípios que me passaram, e embora fosse falando com elas, não entrava nos joguinhos e ainda as chamava à atenção.
    E o meu grupo, sempre foi o "não popular", embora me considerasse popular, visto conhecer muita gente, sempre tive a cabeça no lugar e pais com noção das coisas, pelo que saí pela primeira vez até depois da meia noite aos 16 anos e sabe deus o que ouvi ahahah
    Isto ficou um bocadinho confuso, mas acho que compreendes o que quero dizer :p

    Mas essas são boas questões para as pessoas de que falas e que também conheci, há pessoas que conseguem ser mesmo más e espero que agora, sejam bem melhores do que foram.
    "E como assim vocês tinham mamas tão grandes?" conheci quem usasse meias ahah

    Gostei de ler :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Popular no bom sentido já é bom :).
      Mostraste ter atitude, é de valor!
      Eu nunca fui popular, nem no mau nem no bom sentido.
      Ahahaha, o que eu te compreendo, eu também só saí por volta dos 15/16 anos e a reação foi a mesma xD.
      Eu percebi tudo, não te preocupes e gostei muito de ler o teu comentário :).

      Eliminar
  17. Foram fases. Tivemos que passar por elas. Ainda bem que já passou...

    ResponderEliminar
  18. Sim! Porque é que as raparigas tinham umas mamas tão grandes? Quer dizer, eu sempre tive pequeninas, então chateava-me xD
    E também nunca entendi o sair à noite, os meus pais nunca me deixaram pois achavam que era muito nova. Verdade seja dita, só perguntei uma vez. Porque é que iam para discotecas com 15 anos e como?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A malta das discotecas não querem saber, desde que paguem, não se preocupam em ver a idade.

      Eliminar
  19. Na escola onde andei não existiam "os populares", cada um estava na sua, com o seu grupo e era tudo muito tranquilo, por isso não tinha qualquer problema em voltar atrás! Lamento imenso que ainda existam essas divisões sociais e que nem todos possam ter uma boa experiência.

    https://opequenogirassol.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tive uma boa experiência, apesar disto :).

      Eliminar