"". Life of Cherry: 10 coisas que aprendi tendo um blog anónimo !-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

30.10.17

10 coisas que aprendi tendo um blog anónimo

10 coisas que aprendi tendo um blog anónimo

O " Life of Cherry" nasceu anónimo. Durante quase três anos escrevi sob um pseudónimo, com a cara escondida por uma imagem de Tumblr. Preservei o meu anonimato até chegar à conclusão que não fazia sentido para mim. Aí, comecei a revelar lentamente informações pessoais sobre mim, como a minha cidade, o meu curso, até que, perto do 3º aniversário do blog, decidi colocar aqui uma foto minha de costas como foto de perfil, colocando-me no semi-anonimato.

Neste momento, muitas pessoas já sabem a minha verdadeira identidade ( incluindo até a minha turma de faculdade, como contei aqui). Por incrível que pareça, nunca me senti tão bem na blogosfera. Agora posso partilhar com os meus amigos algo que me entusiasma, posso contar com o apoio deles e, acima de tudo, sinto que posso escrever mais livremente, sem me preocupar com o facto que me descubram. O meu blog ainda vai permanecer no semi-anonimato, mas um dia destes ( mais cedo do que imaginam), vou dar o próximo passo, e esta experiência tem-me dado confiança para isso.

Apesar de tudo,  irei sempre lembrar-me dos tempos em que fui anónima.  Durante este período de tempo, aprendi muito sobre mim, sobre as pessoas, sobre escrita, sobre a blogosfera, e sobre as diferentes formas de estar nesta. Hoje partilho com vocês aquilo que aprendi tendo um blog anónimo.


1. Nunca somos verdadeiramente anónimos: A Inês escreveu uma vez uma publicação que nunca fez tanto sentido para mim como agora. Tal como ela escreveu, anónimos são aqueles que comentam ocasionalmente, sem nome, e que deixam apenas uma frase, um elogio, uma pergunta ou uma crítica. A restante população blogosférica não é anónima. Nós, bloggers, partilhamos as nossas paixões, os nossos gostos, as nossas ambições, os nossos objetivos, os nossos medos e as nossas opiniões. As pessoas, à medida que nos vão lendo, vão conhecendo bocadinhos de nós, o que faz que não sejamos anónimos para elas. Mesmo que não partilhemos quase nenhuma informação acerca da nossa vida, as pessoas acabam por nos conhecer, quanto mais não seja pelo pseudónimo que usamos. 

2. À medida que o teu blogs cresce, a probabilidade de te descobrirem é cada vez maior: Um bom conselho para quem está a pensar criar um blog anónimo é assumir que este vai acabar por ser desmascarado. Assim, se algum dia isso acontecer, já estão preparados para isso. Porque, tal como já disse, nós nunca somos verdadeiramente anónimos e, mesmo que não queiramos, acabamos sempre por deixar passar uma informação pessoal aqui e acolá, que para a maior parte das pessoas pode passar impercetível, mas que alguns stalkers mais insistentes acabam por utilizar ( ou mesmo pessoas que vocês conhecem, como familiares e amigos) e, juntando as peças, acabam por chegar a nós ( quando o meu blog era completamente anónimo, já me chegaram a descobrir assim). Podem achar que têm a vossa identidade protegida, mas uma pessoa muito determinada pode desmascarar-vos. E ainda vos desmascara mais depressa se tiver conhecimentos na área de Informática. Portanto, se estão a pensar em criar ou têm um blog anónimo tenham em mente que, à medida que o vosso blog cresce e vai ganhando exposição, a probabilidade de descobrirem a vossa identidade é maior. Não quer dizer que isso aconteça ( existem muitos blogs com 5 ou até 10 anos que ainda estão no anonimato), mas é algo que pode acontecer, sobretudo se abordarem temas muito controversos.

3. Nem sempre a liberdade de escrita está do lado dos anónimos: Uma das muitas razões pelas quais as pessoas criam blogs anónimos é porque afirmam que, desta forma, têm mais liberdade de escrita. Contra mim falo ( porque o meu blog nasceu anónimo por essa mesma razão) quando afirmo agora que a liberdade de escrita nem sempre está do lado dos anónimos. Ao longo destes 3 anos de anonimato, tenho constatado que esta forma de estar na blogosfera, às vezes, acaba por ter mais entraves. Por vezes, para conservar o nosso anonimato, acabamos por colocar filtros naquilo que escrevemos, como não revelar a nossa cidade, o nosso curso, o nosso trabalho ou não escrever sobre experiências pessoais, com medo que alguém que nos conhece na "vida real" nos identifique. Irónico, não é? Criamos um blog anónimo para ter mais liberdade de escrita, para depois nos apercebermo-nos que, afinal, somos muito mais livres para escrevermos sobre aquilo que queremos quando " damos a cara". Porém, isto da liberdade de escrita é algo muito relativo. Há quem se sinta mais à vontade a escrever sob um pseudónimo, e há quem se sinta mais livre quando revela a sua identidade verdadeira à blogosfera. Porém, acho que muita gente desconhece o outro lado da moeda.

4. O teu pseudónimo não te protege das críticas nem julgamentos: Outra das razões pelas quais muitas pessoas optam pelo anonimato é para poderem escrever sem se sentirem julgadas por ninguém. Mas, na verdade, continuam a ser julgadas, não pelas pessoas que os conhecem, mas por todas as outras que lêem o blog. Podem estar livres dos julgamento das pessoas que vos conhecem, mas isso não significa que estejam livres das críticas e julgamentos das pessoas da Internet. Muitas vezes, até vos atacam mais por seres anónimos, mandando-vos bocas do tipo " só dizes isso porque és anónimo(a)" ou " és um(a) cobarde, queria ver se escrevias o mesmo se desses a cara". Não liguem às pessoas que mandam essas bocas são parva, porém tenham consciência que elas existem e que o vosso anonimato não serve de escudo, não vos protege dessas críticas.

5. As opiniões dadas num blog anónimo são tão válidas como aquelas que são dadas num público: Já debati este assunto com vocês nesta publicação, mas reforço mais uma vez a ideia aqui. Os textos escritos num blog anónimo, bem com as opiniões que estes contêm, são tão válidas como os textos escritos num blog público. Existem muitas razões pelas quais as pessoas optam por proteger a sua identidade na blogosfera, e nem sempre é por causa da vergonha ou do medo de exprimirem os seus pontos de vista.

6. Os bloggers anónimos também têm que te cuidado com a exposição: Lá por não mostrarem a vossa cara não significa que possa espetar tudo sobre a vossa vida na Internet. Os blogs não são diários íntimos onde podem escrever todos os detalhes da vossa vida. Ou, pelo menos, não deviam ser assim. Além de ninguém gostar de ler posts sobre intrigas de namorados, a zanga que tiveram com a vizinha  ou o quão o vosso chefe é um idiota, partilharem demasiados detalhes pessoais pode virar-se contra vocês. Ter um blog anónimo pode tornar-se perigoso a partir do momento em que perdemos a consciência daquilo que é e não é correto publicar na net. Podem pensar " eu não sei como é que há pessoas que revelam este tipo de informações", mas acreditem que é muito mais fácil do que aquilo que pensam. Como ninguém vos conhece, têm a sensação que podem partilhar tudo o que quiserem. Eu própria já senti essa tentação, mas felizmente sempre consegui controlar-me e ser consciente naquilo que publicava. Escrever posts demasiados íntimos pode expor-vos demasiado, fazer com que as pessoas vos levem menos a sério e, na pior das hipóteses, dar cabo do vosso anonimato ( uma vez que, se escreverem sobre os vossos problemas pessoais muito detalhadamente, alguém que vos conhece vai pensar " conheço alguém que está a passar exatatemente por isto", e acabar por perceber que são vocês).

7. Ter um pseudónimo dá sempre um certo mistério: Ter um pseudónimo é giro, dá uma certa aura de mistério, no sentido em que os nossos leitores querem sempre saber mais sobre nós, têm curiosidade em saber como é que nós somos fisicamente, e estão sempre à espera de mais "pistas" que possam levá-los a nós. Mas o mais engraçado de ter um pseudónimo é o facto de estarmos a viver uma vida paralela, em que quem convive connosco no dia a dia não faz a mínima ideia que nós temos um blog ( e nós pensamos " que idiotas, estão a ser enganados sem saberem" ahahah), e os nossos leitores não sabem como nós somos fisicamente.

8. Porém, a ligação que se cria com os leitores é muito mais forte num blog público: Ter um pseudónimo pode dar aquele mistério, mas aquilo que eu tenho vindo a constatar é que as pessoas se identificam muito mais com uma foto de uma pessoa "real" do que com uma imagem tirada do Tumblr. O facto de termos ou não uma foto nossa no blog não faz diferença nenhuma na nossa opinião, mas as pessoas identificam-se mais connosco quando sabem qual é nossa aparência.

9. Não há uma forma certa ou errada de estar na blogosfera: Não há uma forma certa ou errada de estar na blogosfera. Cada posição tem os seus prós e contras, e depende muito daquilo que escrevemos, da forma como agimos e como nos comportamos. Apesar de todos os pontos que escrevi aqui, defendo que cada um deve escrever da forma que se sente mais à vontade. Se se sentem mais à vontade em ser anónimos, muito bem. Se se sentem mais felizes ao " dar a cara", força nisso. Ambas as opções são válidas.

10. Não fui feita para ser anónima: Com toda esta experiência de ser anónima, aprendi que ser anónima não é para mim. Não nego que existem muitas vantagens em ser anónima mas, para mim, os malefícios ultrapassam os benefícios. Quero poder ser eu própria, dentro e fora da blogosfera, não me quero sentir presa a uma condição que me impede de partilhar informações vulgares a cidade onde vivo ou o curso que frequento, quero partilhar o meu blog com quem gosto, quero que tenham oportunidade de conhecer-me e, sobretudo, quero partilhar as minhas ideias de forma livre, sem receios que me identifiquem. Gostei muito desta experiência, mas sinto que está na altura de começar a deixá-la para trás. 


E vocês? São ou já foram anónimos na blogosfera? Partilhem a vossa experiência nos comentários?

29 comentários:

  1. Eu já tive vários, mas eram só de poesia e/ou textos. Mas desde que criei o The Brunette's Tofu (assim se chamava, antes de ser Kéké), senti necessidade de me assumir no meu todo. Fazia mesmo sentido para mim ser eu própria e tal não me parecia possível sem as pessoas associarem o blog a "uma cara".
    E assim foi <3 Mas conheço muitas bloggers que se mantém no anonimato (a minha irmã permaneceu assim durante muito tempo) e é isso que as torna especiais.

    Beijinho grande
    Kéké
    www.keke.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E criaste um espaço único, com a tua identidade e cunho pessoal :).
      Lá está, o anonimato também dá um certo mistério, e existem muitos blogs que até têm mais piada assim :).

      Eliminar
  2. É tudo uma questão de bom senso. Além de ninguém me conhecer por Magui, já muitas pessoas conhecidas sabem que o blog é meu.
    Como dizes, e bem, não há uma forma certa ou errada de ter um blog. Cada um tem o direito de o fazer como bem entender.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo isso, acima de tudo tem que existir bom senso :).

      Eliminar
  3. é como dizes, criamos um blog anónimo para podermos escrever de tudo mas aos poucos vamos dando-nos a conhecer, descobrem-nos e por fim assumimos uma identidade, aconteceu comigo e com tantos outros, há ainda alguns que nunca levantam o véu, nem sei como conseguem mas pessoalmente gostaria de ter conseguido isso. Sinto-me muitas vezes inibida em falar de certas coisas agora que sei que alguns conhecidos me lêem..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É algo que acaba sempre por acontecer, muitos blogs anónimos acabam por se tornar públicos por causa disso. Outros desaparecem porque os seus leitores não conseguem lidar com a exposição. Eu por acaso não me sinto inibida. Na verdade, até sinto que tenho mais liberdade de escrita assim :). Não tens te preocupar com isso. Desde que não escrevas sobre coisas demasiado íntimas ( coisa que tu não fazes), não há problema. As pessoas vão nos julgar sempre, quer tenhamos um blog ou não, por isso mais vale fazermos aquilo que gostamos.

      Eliminar
  4. Nunca passámos por isto. Sempre fomos assumidos, mas gostávamos. É uma liberdade maior... E há sempre formas de dar a volta e manter-se anonimo se quisermos. Mas concordamos com o que escreveste, sem tirar nem pôr!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, há sempre formas de dar a volta, mas eu sinto-me feliz assim e, no futuro, pretendo ter um blog 100% público :).

      Eliminar
  5. O meu é praticamente anónimo.. existe pessoas que sabem, mas muito poucas... Sei que com o tempo vou dar a cara, mas ao contrário do que sentes, não há um eu diferente no blog ou fora dele. Esta sou eu. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sinto isso. Só disse que ser anónima foi uma espécie de vida pararela, no sentido em que quem me conhecia não fazia a minima ideia que eu tinha um blog. Mas eu sou a mesma pessoa dentro e fora da blogosfera :).

      Eliminar
  6. Nunca passei pela experiência de ter um blogue anónimo, mas muitos dos pontos que abordaste vão ao encontro da opinião que tinha sobre o assunto. Percebo perfeitamente os motivos que levam ao anonimato, mas também acho que as restrições acabam por ser maiores, precisamente pelo cuidado que têm que ter para que a sua verdadeira identidade não seja revelada. Mas é como tudo na vida, ter um blogue anónimo tem os seus prós e os seus contras. O importante é que as pessoas se sintam confortáveis com a opção que tomam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Respeito quem queira permanecer no anonimato, mas para mim já não dá, precismamente por essas restrições. Sinto-me muito mais livre para escrever agora que já não me preocupo com o facto de ter pessoas conhecidas a ler-me. Extato, tem os seus prós e contras e, tal como já disse, ter um blog anónimo é tão válido como ter um público :).

      Eliminar
  7. Eu comecei sem ser anónima, tinha o meu nome mas acho que nunca cheguei a ter uma foto mesmo minha, comecei num blogue diferente com um nome diferente, até que decidi criar o Green Land, já nem sei há quantos anos, e por lá fiquei. Há quem saiba quem eu sou, também já conheço algumas pessoas da blogosfera, mas quero manter assim, meio anónimo, gosto assim e quero continuar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O importante é que te sintas confortável com o teu blog :). Se é assim que te sentes mais confortável, continua assim, os outros só têm é de respeitar.

      Eliminar
  8. Percebo bem tudo o que escreveste, durante 3 anos escrevi o meu blog através de uma personagem fictícia e tirando os meus e quem segue as minhas redes pessoais, as pessoas na blogoesfera não sabia quem eu era, aliás nem viam a explicação no meu blog para a personagem ou não entenderam, achando que eu era uma mulher.
    E comentei no feminino durante esse tempo, não assumindo deliberadamente o meu género.

    Há uns poucos meses decidi dar a cara pelo meu blog e foi o melhor que fiz, mas também porque o fiz na altura certa para mim.

    MRS. MARGOT

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu confesso que antes de ver a tua fotografia também achava que eras uma mulher ( sorry xD).
      O mais importante é isso mesmo, estares feliz com a tua decisão :). Eu não o fiz por inicativa propria, mas terem descoberto o meu blog foi a melhor coisa que me aconteceu.

      Eliminar
  9. A mim parece-me ridículo criticarem alguém por optar pelo anonimato ou não, que diferença faz? Eu nunca pensei muito nisso, tanto que tenho uma foto minha no blog e já publiquei várias fotos minhas e da minha família :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente, não faz diferença nenhuma, o que importa é o que a pessoa escreve. Eu pensava muito nisto no inicio so meu blog, agora tenho vindo a largar o anonimato aos poucos.

      Eliminar
  10. Eu já tive blogues anónimos e nada melhor do que agora "dar a cara". Sinto-me muito mais "livre".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também me sinto mais livre agora que posso partilhar o blog com os meus amigos, e estou ansiosa por ser completamente do anonimato para me sentir ainda mais livre :).

      Eliminar
  11. Nunca antes pensei em criar um blogue anónimo. Penso que nenhum dos meus amigos saiba que eu tenho um blogue, mas também já cheguei a um ponto em que não me importo mais com isso. Mais cedo ou mais tarde partilharei com toda a gente quando criar uma página no Facebook.
    E como nunca tive esse interesse, simplesmente porque nunca me ocorreu, foi interessante ver as razões por detrás de quem o faz :) Gostei bastante deste teu post! E subscrevo inteiramente o post da Inês.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cria uma página de facebook, o teu blog merece ser partilhado :). Eu vou pôr logo gosto.
      Obrigada :).

      Eliminar
  12. O meu blog tambem é anonimo porque me sinto melhor assim e não queria ter um blog que fosse apenas sobre a minha imagem. Mas acho que é algo que cada um de nos tem de decidir e ver o que é melhor :) bjs

    https://strawberryleopard.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. O meu blog é anónimo, ja´tive um blog público, mas agora sinto-me melhor assim, até porque não estou sozinha nisto e optamos ambas pelo anonimato. Sim, concordo que hajam algumas restrições, mas depende das pessoas, tanto eu como a Jane já demos informações sobre nós, o nosso curso, etc. Se for descoberto, foi. Não penso muito nisso e é como dizes, seja anónimo ou não, é sempre válido :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando um tem que escrever como se sente mais à vontade :). Se é assim que se sentem mais à vontade, ninguém vos pode julgar por isso. Os vossos textos não perdem valor por serem anónimas.

      Eliminar
  14. Não conhecia esse post da Inn, mas inspirou-me verdadeiramente, é como dizes, ser anónino não nos define, mas também não faz de nós pessoas estranhas ou sem cara, sem nome.
    As tuas opiniões não deixam de ser coerentes por seres anónima, assim como as opiniões de alguém que dá a cara não têm de ser todas aceites só porque não é anónimo. Em tudo há equilíbrio.
    Quanto ao mistério dos pseudónimos, eu nem consigo chamar-te pelo teu nome, és e serás por muito tempo a Cherry! Anónima ou não.

    De qualquer forma, assim que saíres do anonimato, aqui estarei eu. <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente, as pessoas que nos lêem acabam sempre por nos conhecer, mesmo que não mostremos a cara.
      Podes tratar-me por Cherry, à vontade :). Aliás, eu serei sempre Cherry para as pessoa que me lêem, quer seja anónima ou não.
      Obrigada Ju, a sério, do fundo do coração, por estares sempre pronta a apoiar-me em tudo <3.

      Eliminar
  15. Meu blog não é anônimo, mas fico longe de assuntos considerados polêmicos porque só gera briga e confusão( sempre vi isso em muitos blogs, e quando começa a discordar, nossa, aí sim começam os ataques!) Tem coisas que a gente coloca na blogosfera, tem coisas que a gente conta para quem a gente confia.Nem todo mundo precisa saber tudo sobre a gente. Quem precisa saber é quem demonstra que quer estar ao nosso lado e quer manter uma amizade verdadeira e isso eu aprendi da maneira mais difícil. Nem todas as linhas de pensamentos são para todos, mas quando a pessoa procura manter assuntos que beneficiam a todo mundo, propicia agora um lugarzinho legal para se visitar e comentar.

    Beijos!

    www.vivendolaforanoseua.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo o teu ponto de vista. Nem toda a gente tem que saber da nossa vida, e existem coisas íntimas que só se partilham com amigos ou familiares. Contudo, não concordo com essa perspetiva de evitar todos os assuntos que são polémicos, só porque pode gerar confusão. As pessoas, vão discordar sempre das coisas, é impossível aliás criar um post que agrade a toda a gente. Além do mais, há certos temas tabus e ditos polémicos que são importantes serem falados.

      Eliminar