"". Life of Cherry: Porque decidi não colocar emblemas na minha capa !-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

17.5.18

Porque decidi não colocar emblemas na minha capa

Porque decidi não colocar emblemas na minha capa

Ir para a universidade sempre foi um grande sonho para mim. Não só para seguir algo que me apaixona, mas por todas as tradições que se vivem nesta grande etapa da vida estudantil. Sempre achei que todas estas tradições académicas como a praxe, as serenatas, a latada, o Cortejo e as semanas académicas tinham muito encanto. Mas aquilo que sempre ansiei mais foi o momento em que poderia trajar. Acho que trajar pela primeira vez é o ponto alto da vida académica de um estudante: representa toda a caminhada que fizemos até este momento, todas as nossas conquistas, todos os nossos sonhos, os momentos que vivemos enquanto estudantes mas, acima de tudo, tem uma história que já começou a ser escrita muito antes de nós, uma história de muitos outros estudantes que também já passaram pela universidade. 

Por tudo o que representa o traje académico, imaginei muitas vezes na minha cabeça a altura em que poderia finalmente trajar. Imaginei mais vezes do que seria aconselhável, na verdade, uma vez que quando se criam muitas expetativas estas, frequentemente, saem furadas (mas não foi o que aconteceu neste caso). E durante estes anos sempre me interroguei se iria usar ou não emblemas na capa.

Durante algum tempo, estava convencida que iria usar emblemas na capa. Gostava da tradição que existia das pessoas que nos são mais próximas oferecerem -nos emblemas e da forma como estes poderiam contar a história da minha  vida académica. 

Contudo, ao longo dos anos, fui observando muitos universitários (o meu passatempo favorito quando era mais nova era observar os universitários, para me motivar para estudar mais) e comecei a sentir que usar emblemas era um bocado consumista. Não me interpretem mal, não estou a julgar quem escolheu usar emblemas, mas acho que existem muitas pessoas que os colocam na sua capa a torto e a direito. É o emblema da mãe, do pai, da irmã, dos amigos, do vizinho, do clube futebolístico, mais uns quantos com umas piadas, mais outros das bandas de música favoritas... Acabam por colocar numa quantidade exagerada e, a certa altura, não sei se estão a contar a sua própria história ou a dar dinheiro às lojas dos trajes.  Por outro lado, observava aqueles que tinham optado por deixar a sua capa negra. Aqui no Norte são poucos os que fazem isso, mas na zona de Coimbra e de Lisboa são muitos os que optam por deixar os emblemas numa caixa e trajar desta forma. A pouco e pouco, fui-me inclinando cada vez mais para me juntar a este grupo de estudantes.Por estas razões, não vou colocar emblemas na minha capa.  Além de cumprir todas as regras subjacentes ao bem trajar, decidi "ser "capa negra", como uma espécie de homenagem às origens do traje académico. 

Sempre que trajar, lembrar-me-ei sempre daquilo que o traje representa: um símbolo uniformizador, para minimizar as diferenças sociais e económicas de todos os estudantes. Numa altura em que muitos estudantes sentem dificuldades em pagar propinas e prosseguir os seus estudos, este é também o meu pedido silencioso para o Ensino Superior ser considerado um direito e não um luxo.

Na sexta feira passada trajei pela primeira vez nas Serenatas. Trajei ao lado de pessoas que me têm acompanhado diariamente e pelas quais nutro grande carinho. Trajada, de capa traçada, fui apenas mais uma universitária no meio de tantos outros de uma academia da qual orgulho-me muito em pertencer.  Não preciso de emblemas para contar a história da minha vida académica. Um dia, quando a minha capa estiver arrumada e eu voltar a olhar para ela, lembrar-me-ei de tudo o que vivi. 

35 comentários:

  1. "Capa negra de saudade" :)

    http://www.me-myself-and-her.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daqui a um ano vai ser esse o meu sentimento,como finalista :).

      Eliminar
  2. Eu respeito a tua decisão e deste bons argumentos para defenderes a tua ideia :)
    Eu pessoalmente coloquei emblemas, a grande maioria foi-me oferecida e estão na capa com o maior carinho, além disso contam a minha história. Nunca foi com intenção de ser consumista mas acredito que muitos os ponham "só porque sim" sem qualquer significado. Continua assim e a honrar a tradição académica!Beijinhooos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que eu digo, nem toda a gente usa emblemas por mero consumismo. Tal como tu respeitas a minha decisão, eu também respeito a tua de usares emblemas :). Acredito que no teu caso, dado que a maioria foi-te oferecida, seja ainda mais especial.

      Eliminar
  3. Sou capa negra, assim como os meus afilhados. E tenho apenas dois rasgões que representam o melhor da minha vida académica. O meu traje está arrumado mas a minha capa traz-me as melhores recordações e nunca me esqueço das pessoas que fizeram/fazem parte do meu percurso - mesmo sem emblemas que as representem! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho mesmo amoroso que os teus afilhados tenham optado por seguir as mesmas pegadas que tu <3.

      Eliminar
  4. Como deves saber, Cherry, sou natural da "velha" cidade dos estudantes, onde todas estas tradições tiveram início. Posso, com toda a certeza, comprovar o que enunciaste nesta publicação: a grande maioria dos estudantes da U.C. não trazem emblemas no seu traje, precisamente por gostarem de fazer parte dos "capas negras".
    Ainda não me encontro na faculdade mas, tal como acontecia contigo, fascina-me o dia em que possa trajar. Não sei se serei "capa negra" ou colocarei emblemas mas sei que de uma maneira ou de outra nunca esquecerei o meu percurso académico.
    Um grande beijinho.

    https://apenasfrancisca.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que bonita cidade que é, aí é que as tradições devem ter mesmo muito encanto :).
      Quando chegar a tua altura saberás :).
      Beijinhos querida.

      Eliminar
  5. Antes de mais, muitos parabéns por esse marco que, claramente, era um sonho teu - tornado realidade! Embora não possa dizer o mesmo dos restantes anos da minha vida académica, vivi o meu ano de caloira com muito fervor e por isso senti esse entusiasmo de trajar pela primeira vez. E é tão bonito revê-lo nas tuas palavras! :)
    Quanto aos emblemas, também eu fui capa negra, e muito pela questão de ser suposto o traje uniformizar. Se a ideia é essa, então que seja a sério - para mim. Não nego que acho mesmo bonito ver as capas cheias de emblemas, mas não era a minha cena. Eventualmente, se tivesse continuado a trajar com frequência, talvez tivesse mudado de opinião, mas como quase só usei o traje como "roupa de gala", nunca surgiu a questão. A mesma coisa com os rasgões: tenho do meu namorado (que estava na mesma faculdade que eu), do meu mestre de cerimónias do ano de caloira, do meu padrinho de praxe e dos meus irmãos de praxe "de origem", que deu origem a uma trança. E assim ficou :)

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada <3. Acho que o ano de caloiro é o melhor. Depois desse, só o de finalista chega lá perto.
      Eu também não vou usar muito o traje, como não sou da praxe não tenho muitas oportunidades para isso.
      Os rasgões têm uma simbologia tão bonita <3.

      Eliminar
  6. Muito bem! Uma opinião de respeitar e apoiar.:))

    Hoje:- Não sofras por não me teres, não é verdade.

    Bjos
    Votos de uma óptima Quinta - Feira

    ResponderEliminar
  7. Para o ano sou finalista e, sinceramente, ainda não decidi totalmente se quero colocar ou não, mas estou mais inclinada para o sim. Acho que fica bonito e conta um bocadinho da minha vida académica, mas não vou andar por aí a comprá-los, acho especial e bonito quando são oferecidos pelas nossas pessoas com o maior dos carinhos e votos. No entanto, admiro muito a capa negra, não sei, mesmo não tendo emblemas conta tanta coisa, é tão especial na mesma que torna os emblemas apenas um acessório. É a nossa capa e basta, com emblemas ou sem emblemas, o importante será sempre olhar para ela com o maior dos orgulhos no nosso percurso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os emblemas, quando oferecidos, têm muito mais significado :).
      Nem mais, é isso o mais importante, e tenho a certeza que ambas iremos fazê-lo :).

      Eliminar
  8. Ir para a faculdade também sempre foi um sonho. E muito do espírito académico começou a ter mais interesse e significado para mim por causa do meu primo. E se havia algo que eu adorava era olhar para a capa dele, que estava cheia de emblemas!
    Trajar pela primeira vez é sempre um misto de sensações, mas acho que vamos gerindo estas questões consoante o momento e aquilo que passa a fazer mais sentido para nós. Eu sempre quis colocar emblemas na capa, mas, lá está, tinham que fazer sentido. Além disso, achava mesmo bonito colocar a capa ao ombro e ver aquela "montra"... até perceber que, por exemplo, na minha faculdade não andamos com os emblemas à mostra. Num primeiro momento, confesso, senti uma pontada de tristeza, mas depois percebi a razão e, hoje, acho que faz mais sentido. A capa é nossa e ninguém precisa de ver o que ela tem.
    São os momentos que nos marcam e não essa representação física. E menciono muitas vezes isso quando peço rasgões às pessoas. Durante muito tempo, achei que não os iria pedir, mas no meu último ano fez sentido. Não porque precisasse daquele rasgão da pessoa, mas por sentir que é uma forma de lhe mostrar que foi importante no meu percurso e que, além disso, é uma espécie de agradecimento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também ganhei muito do meu espírito académico graças aos meus primos :).
      Que interessante, não sabia que existia essa tradição na tua faculdade, mas até tem o seu sentido. Cada um tem a sua história, e nem sempre há necessidade de partilhá-la com o mundo.
      Concordo, os gestos o que nos marcam mais. Os simbolismos são importantes, não há dúvidas, mas não há nada mais importante do que as ações das nossas pessoas.

      Eliminar
  9. Só este ano é que coloquei emblemas na minha capa, mas concordo totalmente contigo é algo super consumista. Verdade seja dita, só tenho 5 emblemas e não quero mais. Apesar, de achar bonito a capa cheia de emblemas, no Porto vê-se imenso, também gosto da minha capa negra :)

    ResponderEliminar
  10. Olá! Também decidi ser capa negra. Na minha universidade não se podem usar esses emblemas todos de clubes, com frases, etc... apenas se pode usar cidades e alguns outros diversos mas muito restrito. Decidi ser capa negra porque, além de amar preto, acho que as capas ficam como uma espécie de árvore de Natal, sem ofensa a quem usa emblemas. Comprei emblemas sim, mas tenho-os guardados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é que é mesmo, algumas parecem mesmo árvores de natal xD.

      Eliminar
  11. Cherry, como lidar com o fracasso? Este semestre esta a correr mal. Estou no primeiro de licenciatura e sinto-me uma idiota

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida anónima, vou-te dizer algo que provavelmente é a última coisa que queres ler neste momento: o fracasso é inevitável. Todos nós falhamos, em vários momentos ao longo da nossa vida. Não há forma de escapar por muito bons que (tentemos) ser. Vemos frequentemente o fracasso como algo negativo, um sentimento que nos corrói por dentro, que nos faz querer escavar um buraco e nunca mais sair, mas se calhar o problema não é o fracasso em si mas sim a forma como o percecionamos. Somos ensinados desde novos que falhar é algo mau, que devemos evitar ao máximo, e demora muitos anos e maturidade até percebemos que falhar não é algo vergonhoso, mas sim uma oportunidade para crescer e aprender com os nossos erros. Por muito gasta que já esteja esta frase, é verdade " o sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo". Por isso, antes de refletires sobre a tua situação académica atual, peço-te para refletires sobre a forma como encaras os teus insucessos. Pensa nestes como uma oportunidade para descobrires aquilo que estás a fazer de errado e para melhorares.
      A melhor forma de lidar com o fracasso é mesmo esta, descobrir aquilo que o está a causar. Não te conheço, por isso não faço ideia o que possa estar na origem deste, mas tenho alguns palpites. Em primeiro lugar, sentir que estamos a fracassar é algo muito frequente no primeiro ano de faculdade. A transição do Secundário para a Universidade pode ser extremamente difícil e, por vezes, um semestre não basta para te adaptares. É perfeitamente natural ainda sentires dificuldades com o 2º semestre. Mas vais ver que, com muito trabalho e motivação, te vais adaptando pouco a pouco a todas as exigências que esta nova etapa acarreta.
      Também podes estar a sentir-te assim uma vez que, normalmente, é no 1º ano que as cadeiras mais difíceis estão mais concentradas e, juntando à equação um ambiente novo, uma rotina nova e o cansaço que se vai acumulando, pode ser desastrosos. Ou simplesmente não estás tão motivada. Qualquer que seja o motivo, é muito importante identificá-lo para poderes desenvolver estratégias a partir daí. É muito fácil perdemo-nos no ciclo vicioso dos nossos pensamentos negativos.
      Algumas estratégias gerais que te podem ajudar é: pedir ajuda aos professores (porque sim, há professores que ajudam, a cena de que os professores não querem saber de nós na uni é um mito), estudar com os teus colegas ( se fores como eu e gostares mais de estudar sozinha, podes optar por só te reunir com eles para esclarecer dúvidas), explorar métodos de estudo diferentes daqueles que estás habituada e estudar por resumos de colegas mais velhos (foi um verdadeiro life-saving para mim no primeiro ano, e nos restantes até).
      Espero ter ajudado e que consigas dar a volta a este semestre (ainda vais a tempo!). Não sejas tão dura contigo própria, ninguém é perfeito e todos nós cometemos erros, o importante é nunca desistir.

      Eliminar
    2. Já te dei muito para ler xD, mas se quiseres ler um pouco da minha experiência, lê esta publicação: http://www.lifeofcherry.pt/2016/09/o-que-eu-aprendi-quando-reprovei-numa.html.

      Eliminar
  12. Sou capa negra por opção mas depois de o meu avô me deixar, ponderei colocar os emblemas em homenagem a ele. Acabei por não o fazer, mas isso não quer dizer que deixei de pensar no meu avô. Continua aqui, no coração, mas achei que sinceramente não valeria a pena visto que trajei muito poucas vezes. Ao invés disso, pedi aos meus amigos que fumam, que fizessem um furo na minha capa (é algo comum em Bragança, pelo menos) e lembro-me de cada um deles. Aos restantes, ficam na memória, naturalmente! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não precisas de colocar emblemas para mostrar o amor que tens pelo teu avô. Desconfio que já o tenhas homenageado de outras formas, através das tuas ações (não te conheço, mas dá-me a sensação que és um bom rapaz).
      Que tradição engraçada! O que eu estou a aprender com estes comentários.

      Eliminar
  13. Por acaso tenho um amigo que já tem trabalho e tudo mais (muito bem de vida) e do nada disse-me que queria ir para a universidade só pelo "diploma". Achei um tanto esquisito, visto que ele sabe quase tudo do curso que vai, porém começamos a falar no traje e aí vi que o homem tinha o sonho de se trajar! (risos) Acho tão bonito o traje apenas em preto e concordo totalmente com as tuas razões para não usares emblemas. Muitos parabéns por teres trajado pela primeira vez! Beijinhos minha querida! <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahah, isso é algo que eu faria xD. As tradições universitárias têm tanto encanto que acho que ele não é o único a querer entrar por essa razão :).
      Muito obrigada <3. Beijinhos

      Eliminar
  14. É uma maneira de ver as coisas, eu usei emblemas, aliás ainda estão na minha capa, e acho que fez sentido, na altura fez até todo o sentido, mas cada um com as suas ideias.

    ResponderEliminar
  15. Eu também não coloquei durante todo o percurso académico ;p

    ResponderEliminar
  16. Sempre oiço todo o mundo a falar assim da vida académica, todo um encanto pelas tradições e tudo mais. Eu não fui para a faculdade e confesso que nunca me seduziu. E, tivesse eu ido, desconfio que seria daquelas nojentinhas anti-praxe xD nunca tive paciência para essas palhaçadas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada um tem os seus gostos, desde que se respeite quem goste, não há problema :).

      Eliminar
  17. Na minha Universidade só podem ser usados emblemas "oficiais" (curso, universidade, cidades, vilas, paises, associaçoes que frequentas e não é qualquer um, cidades onde supostamente passaste trajada, etc). Tendo eu pertencido a uma tuna, a minha capa e os meus emblemas falam realmente da minha história e percurso academico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É engraçado como cada universidade tem as suas regras, já li aqui imensas tradições diferentes :).

      Eliminar
  18. Eu pessoalmente coloquei emblemas na capa e a maioria foram oferecidos... na minha todos os que lá estão acabam por me caracterizar de certa forma.
    Mas a tua posição é aceitável e também muito nobre. Afinal, quando todos traçamos a capa, ninguém vê os emblemas, somos todos iguais... trajar é simplesmente um momento lindo!

    http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  19. Sou capa negra e, portanto, também optei por não colocar emblemas na minha capa! Os emblemas e as histórias estão guardados na minha memória e creio que isso é que é o mais importante! :D

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  20. nossa, nunca pensei nisso. acho que não usaria nada que me marcasse como pertencente a algo. beijos, pedrita http://mataharie007.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  21. É pena realmente que a universidade seja quase um bem de luxo :/ eu coloquei emblemas na minha capa e é um dos meus maiores orgulhos mas entendo bem o que disseste e é de respeitar! :') não deixa de ser menos bem trajada por não ter emblemas :)

    ResponderEliminar