"". Life of Cherry: 5 formas inconscientes de encorajar hábitos alimentares poucos saudáveis durante o natal !-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

16.12.17

5 formas inconscientes de encorajar hábitos alimentares poucos saudáveis durante o natal

5 formas inconscientes de encorajar hábitos alimentares poucos saudáveis durante o natal

Durante a época natalícia e o Ano Novo, são muitos os comportamentos pouco saudáveis que as pessoas têm. Porém, alguns destes comportamentos, apesar de parecerem inofensivos, podem incentivar outras pessoas a ter hábitos alimentares pouco saudáveis ou mesmo a terem uma pior relação com o seu próprio corpo, além de poderem piorar a recuperação de quem está a sofrer de algum tipo de distúrbio alimentar.

Estas são algumas formas através das quais, não intencionalmente, encorajamos os outros a adquirir hábitos alimentares pouco saudáveis.


1. Encorajar uma pessoa que já está cheia a comer mais: "Come só mais uma fatia deste bolo", " espera até provares os outros bolos", " Estás pronto/a para a segunda ronda?". Embora estas frases possam parecer muito simpáticas e convidativas, estão a incentivar-nos a ignorar os sinais do nosso próprio corpo. Embora não nos devamos sentir mal por comer demais de vez em quando ( todos nós temos direito às nossas indulgências), incentivar este comportamento é completamente diferente. Além disso, o natal não significa comer até mais não. Embora o natal também envolva tradições gastronómicas, nem tudo gira à volta da comida. É possível comer de forma consciente, dando mais importância a fatores internos do que externos e, mesmo assim, apreciar esta época.

2. Tornar a comida uma obrigação social: Outra das razões que levam as pessoas a comer mesmo depois de estar cheias é por obrigação social/moral. Quando participamos numa atividade de grupo, como é o caso dos jantares de natal, sentimos frequentemente necessidade de mostrar apreciação e agradecimento por quem fez os bolos todos, os que nos leva a comer mesmo não tendo fome e/ou sem nos apetecer. Isto é uma expetativa injusta para colocar nas pessoas, principalmente se elas estiverem numa dieta ou tiverem alguma condição de saúde que agrave com a ingestão de certos alimentos. Lá por não estarmos a comer o mesmo que as outras pessoas não quer dizer que não estejamos a socializar com elas.

3. Reclamar sobre o quanto comeram demais: Muitas pessoas, após terem exagerado na comida durante a época natalícia, sentem-se enojadas em relação ao seu próprio corpo e reclamam sobre o quanto comeram. Este tipo de conversas pode parecer inofensivo ( até porque todos nós caímos na tentação de abusar de vez em quando), mas se estas conversas ocorrerem perto de pessoas que se sentem inseguras em relação ao seu corpo, pode aumentar ainda mais as suas inseguranças. Por exemplo, se uma pessoa que se sente mal com o seu corpo comeu o mesmo que tu, e tu fazes um comentário assim, ela vai sentir-se ainda mais culpada do que o que já se costuma sentir. Expressar vergonha ou arrependimento de comer demais pode passar a mensagem que é algo negativo, imoral, quando na verdade é apenas um comportamento pouco saudável mas que, apesar disso, não deve ter conotações morais.

4. Comentar o que as outras pessoas comeram e/ou o seu corpo: Entre cumprimentos e elogios sobre a perda/ganho de peso, comentários sobre a aparência de uma pessoa ou avaliar o que as outras pessoas estão a comer ( especialmente se sofrerem de algum distúrbio alimentar), o jantares de natal podem ser stressantes. Elogiar a aparência das pessoas não tem mal nenhum, mas é melhor manter os comentários sobre ganhos/perda de peso para nós próprios se não conhecemos bem a pessoa ou se temos conhecimento que ela está a sofrer ou a recuperar de algum distúrbio alimentar. Perder/ganhar peso pode ser bom do nosso ponto de vista, mas pode ser mau no ponto de vista da outra pessoa. Outra coisa que eu não acho muito correto é comentar o que as outras pessoas estão a comer, como se o jantar fosse uma espécie de avaliação de quem come menos/mais. Cada um come aquilo que quer, e não tem de ser julgado por isso.

5. Falar de "fazer dieta" depois da época festiva: Em primeiro lugar, o "fazer dieta" é algo que não existe. A dieta são os nossos hábitos alimentares, uma rotina que criamos, permanente, e que não dura apenas duas semanas. O termo mais correto para nos referirmos a uma mudança de hábitos alimentares é reeducação alimentar. Continuando, a resolução de Ano Novo mais comum é " perder peso". Todos os anos é a mesma coisa, as pessoas abusam no Natal e Ano Novo, e depois começam dietas malucas em janeiro. Isto cria ideias erradas sobre o que são hábitos de vida saudáveis, principalmente nos jovens.

27 comentários:

  1. Sem dúvida, são atitudes recorrentes nesta altura do ano, que é sempre de excessos alimentares (para quem pode, porque a miséria de algumas pessoas continua, infelizmente). Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois para quem pode, porque existe muita gente que nem abrigo tem, quanto mais comida, infelizmente...

      Eliminar
  2. Adorei principalmente o último ponto, tens tanta razão!
    Beijinhos
    Blog ChocoPink / Instagram / Facebook


    ResponderEliminar
  3. Eu (e penso que a minha família também) comemos sem restrições até nos apetecer parar, sem nunca olhar para o que as restantes pessoas estão a comer :)
    Mas confesso que ter comida na mesa é uma tentação gigante!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tem mal nenhum comer sem restrições, desde que seja essa a vossa vontade :).

      Eliminar
  4. Estas questões são sem dúvida algo que me atormenta/incomoda. Como sabes... é mesmo complicado ouvir alguém dizer que comeu demais e que está quase a cair para o lado quando, há 5 minutos, me estava a dizer "viraste rato para só comer legumes" ou "não comes bolo? Não comeste assim tanto do prato principal..."
    Fico triste, cabisbaixa e começo a comer só por comer para que parem de me pesar com estas conversas. A verdade é que adoro bacalhau e vou comer o que me apetecer. A outra verdade é que refiro SEMPRE fruta, uma vez que não sou muito doceira. Mais ainda, também é um facto que as entradas pouco ou nada me dizem. Por isso, deixem -me descansada e tranquila, pois, não se preocupem, eu vou comer queijo! (Eu a falar alto!!! 😂)
    Além disso,para mim o Natal não é de todo O Comer. Assim, é fácil não cair em exageros e não estar mal. Porém, facilmente sou apanhada nessas conversas paralelas e dói-me muito ouvir certos comentários.
    Este post foi mesmo importante, Cherry!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As pessoas não estão ainda muito habituadas a pessoas vegetarianas ou que tenham hábitos alimentares diferentes daquilo que é considerado " normal", o que dá aso a esse tipo de observações e comportamentos que chegam a ser bastante incomodativos. Mas é algo que têm mesmo que aprender, a respeitar as escolhas das outras pessoas.
      Não comas só por comer, Ju. Se não te apetece, não comas e não ligues ao que te dizem :). Tomara muita gente ser como tu. Não existiria obesidade xD.
      Pois, para mim também não, é muito mais que isso, mas parece que grande parte dos portugueses se centram nisso :(.

      Eliminar
  5. Náo vejo grande mal em 'abusar' da comida nas festas. O mais importante é o que fazemos durante o resto do ano. Se mantivermos uma boa alimentação durante o ano todo, não são dois dias que irão fazer muita diferença.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente, mas isso tem que ser uma decisão tomada por cada um e não por pressão de grupo.

      Eliminar
  6. Bom dia. Certíssimo. Aconteceu-me ontem nuns anos onde já havia o Espírito Natalício. Comi tanto, que já tarde (veio tudo fora) ... Mas quem resiste? Acho que me vou conter.

    Hoje:- Viajando através da janela...

    Bjos
    Domingo feliz com muito amor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tanto doce na mesa, é sempre difícil resistir xD.

      Eliminar
  7. Não sendo propriamente no Natal, eu fico de certa forma chateada quando me dizem para comer mais, eu digo que não e voltam a insistir umas quantas vezes. Eu se quiser, eu como.

    Algumas pessoas exageram num dia ou numa semana e depois querem fazer "dietas" malucas que só lhes fazem mal e além disso fazem tudo ao contrário. Cortam o que não deviam cortar, etc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, também me dizem isso muitas vezes fora da época natalícia e irrita.
      É, todos os anos é a mesma coisa. Não percebem que é possível apreciar o natal e comer doces sem cair em exageros.

      Eliminar
  8. A minha avó é perita na primeira! Mas sei que não faz por mal ahahah

    https://strawberryafternoons.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As avós são sempre as que se preocupam mais com a comida, acham que os netos estão sempre a passar fome ahahahah xD.

      Eliminar
  9. Bem verdade! Um bom compromisso que faço nesta altura (na verdade em qualquer época) é levar um recipiente para festas/encontros familiares. Nos restaurantes, também peço para levar comida que não consigo terminar.
    Por onde anda a Sofia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um bom truque para não desperdiçar comida :).

      Eliminar
  10. Isto é bem verdade, confesso que não posso cometer excessos este ano, até porque decidi ir à nutricionista para me ajudar numa reeducação alimentar e perda de peso...

    http://arrblogs.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, então não convém muito. Eu, devido a uns problemas de intestino que tive, também não posso abusar muito este ano.

      Eliminar
  11. Concordo a 100% com tudo o que enumeraste!
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  12. Concordo com todos os pontos que referiste! Infelizmente já estou muito acima do peso e ainda assim, há pessoas que simplesmente me fazem sempre comer mais e o pior é que depois dizem-me "ah comeste muito, eu estou mais magra do que tu" etc. são coisas desnecessárias mas enfim. Beijinhos

    www.carolinafranco.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As pessoas têm que aprender a meterem-se nas suas próprias vidas, ninguém tem que andar aí a comentar o que é que uma pessoa come ou deixa de comer.

      Eliminar
    2. Pior é quando essas pessoas são da tua família e tens de levar com as bocas delas. :/

      Eliminar
    3. Como eu te compreendo, também tenho familiares que gostam muito de me mandar comer. O melhor que temos a fazer é ignorar, embora nem sempre seja fácil.

      Eliminar
  13. Às vezes, insistir em fazer comer mais é por carinho e por serem dias excepcionais, como se não se quisesse que faltasse nada a ninguém. Dizer que "já comi demais" até parece um vício, mas por aqui nesta família ninguém quer saber o que comem os outros, cada um tem o seu ritmo, a sua vontade e os seus gostos. Mas é verdade que, quando estamos juntos ou a festejar qualquer data, comemos sempre mais que o habitual no dia a dia. É normal. Também é certo que não temos problemas de peso. De qualquer maneira, sermos atentos ao que dizemos, em particular, conhecendo nós as pessoas é sempre bom. Podemos ser sempre mais cuidadosos. Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, esses casos são perdoáveis obviamente :). Eu neste post estou mais a falar dos casos em que as pessoas abusam e não percebem que estão a incomodar a pessoa. Deveria ser assim em todas as famílias, cada um come o que quer, sem se preocupar com o que os outros comem ou deixam de comer.

      Eliminar
  14. Concordo totalmente com tudo o que escreveste, sem dúvida que temos de saber estar e saber falar do que realmente faz sentido e de forma a não ofender ninguém.

    ResponderEliminar